segunda-feira, 24 de março de 2014

LEITURA ORANTE DAS CARTAS DE PAULO APÓSTOLO
A Leitura Orante (Lectio divina) é a maneira de ler a Bíblia tão antiga como a própria Igreja.  É a leitura que os cristãos faziam da Bíblia para alimentar a fé e a esperança; para animar a caminhada no amor fraterno e solidário.

O Concílio Vaticano II recomenda, com grande insistência, a Leitura Orante da Bíblia. (DV 25)

O Documento de Aparecida recomenda:
"Entre as muitas formas de se aproximar da Sagrada Escritura existe uma privilegiada à qual todos estamos convidados: a Lectio divina ou exercício de leitura orante da Sagrada Escritura.
Com seus quatro momentos (leitura, meditação, oração, contemplação), a Leitura orante favorece o encontro pessoal com Jesus Cristo semelhante ao modo de tantos personagens do evangelho: Nicodemos e sua ânsia de vida eterna (cf. Jo 3,1-21), a Samaritana e seu desejo de culto verdadeiro (cf. Jo 4,1-12), o cego de nascimento e seu desejo de luz interior (cf. Jo 9), Zaqueu e sua vontade de ser diferente (cf. Lc 19,1-10). Todos eles, graças a este encontro, foram iluminados porque se abriram à experiência da misericórdia do Pai que se oferece por sua Palavra de verdade e vida. Não abriram seu coração para algo do Mestre, mas ao próprio Mestre, caminho, Verdade e Vida e  cresceram na “maturidade conforme a sua plenitude” (Ef 4,13), no processo de discipulado, de comunhão com os irmãos e de compromisso com a sociedade." (DAp 249).

As Diretrizes Gerais da CNBB (2008-2010, n.63) destacam a Leitura Orante com seus quatro passos: Leitura, Meditação, Oração e Contemplação, como um meio privilegiado de encontro pessoal com Jesus Cristo. 

Os documentos ainda incentivam a prática dos Grupos Bíblicos de Reflexão, dos Círculos Bíblicos e das reuniões de grupos. 

A Pontifícia Comissão Bíblica ensina que “a Leitura Orante (...), corresponde a uma prática antiga da Igreja” (A Interpretação da Bíblia na Igreja, p. 81). 

E por fim, ensina o Sínodo da Palavra, realizado em Roma, nos dias 05 a 26 de outubro de 2008, que o “método mais prático de acesso à Bíblia é a Leitura Orante” (Lectio Divina).

Passos
1º  - Leitura ( Verdade)
O que o texto diz?
A leitura é o primeiro passo, ou degrau da Leitura Orante da Bíblia. Ler na Biblia, reler, tornar a ler, cada vez mais, conhecer bem o que está escrito, até assimilar o próprio texto; respeitar o texto tal como ele é, sem interpretações precipitadas, sem achar que já conhece esse texto. A Sagrada Escritura é como uma fonte de água. A cada instante brota uma água nova que não é a mesma água do segundo anterior. É como um copo de água que você bebe. Só se bebe aquele copo d’água uma vez na vida. Assim cremos que seja a Palavra de Deus é sempre nova e atual. Ao ler o texto da Escritura, fazê-lo com o respeito de quem se encontra pela primeira vez. Estar atento para as palavras, as repetições, o jeito como está escrito, quem aparece no texto, em que lugar, o que fazem, o que falam... Muitas vezes precisaremos lançar mão de algum subsídio que ajude a entender o texto e o seu contexto histórico/social; usar estudos, dicionários bíblicos, livros, a ciência, a teologia e outros meios. De acordo com Dt 30,14 -“A Palavra está muito perto de ti: na tua boca” - é chegar perto da Palavra de Deus; a Palavra está na boca. Aqui descobrimos o que o texto diz em si mesmo.

2º - Meditação (Caminho)
O que a Palavra me diz? 
A meditação é o segundo degrau. Depois de ouvir e ler a Sagrada Escritura, de assimilá-la criativa e ativamente, vamos usar a imaginação, palavras, a repetição mental ou oral de uma palavra, uma frase, um versículo. Repetir de memória, com a boca, o que foi lido e compreendido. Vamos ruminar até que, da boca e da cabeça, passe para o coração. Já não é mais só o que o texto diz, mas o que esta palavra está dizendo hoje, o que me diz concretamente dentro da realidade em que estamos vivendo. O que Deus falou no passado e o que está falando hoje, através deste texto? É uma forma simples de meditação, um jeito de saborear o texto com cores e cheiros de hoje, da nossa realidade. “A Palavra está muito perto de ti: na tua boca e no teu coração”.
Questionamentos: O que o texto me diz? (Ruminar, trazer o texto para a própria vida e a realidade pessoal e social.)

3º - Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a dizer a Deus?
A meditação nos faz subir o terceiro degrau. A leitura e meditação se transformam em um encontro mais direto, íntimo e pessoal com Deus. Entramos em diálogo, em comunhão amorosa com Deus. Respondemos a Deus, pedimos que nos ajude a praticar o que a sua Palavra nos pede. O texto bíblico e a realidade de hoje nos motivam a rezar. O terceiro passo é a oração pessoal que pode desabrochar em oração comunitária, expressão espontânea de nossas convicções e sentimentos mais profundos. “A Palavra está muito perto de ti: ... no teu coração”.
(Rezar – suplicar, louvar, dialogar com Deus, orar com um salmo...)

4º - Contemplação (Vida)
Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?
É mudança do coração em ação transformadora. “Para que ponhas em prática” (Dt 30,14). Contemplar não é algo intelectual, que se passa na cabeça, mas é um agir novo que envolve todo nosso ser. É contemplativa a pessoa que tem o “jeito novo” de ser, viver, ver e assumir a vida, conforme o projeto daquele que é o nosso único Mestre e que nos diz: “Vocês são todos irmãos” (Mt 23,8). Pela Contemplação, a Leitura Orante se torna uma atitude nova no dia-a-dia por uma ação transformadora – pessoal, comunitária, social, mundial.

Prepare-se para fazer a Leitura Orante dos escritos de Paulo Apóstolo.
1º  Coloque sua Bíblia em lugar de fácil acesso. 

E já localize nela, no Novo Testamento, a 1ª carta aos tessalonicenses e marque.

2º Convide seus familiares, amigos e amigas para participarem conosco.

Vamos juntos nesta bonita caminhada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário