quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

CORAÇÃO HUMANO



DO LIVRO: “A RECEITA DA BOA SAÚDE” –
De Rafael Diniz Abrantes

CORAÇÃO HUMANO
“O coração não foi feito para odiar,
isso pode enfraquecê-lo.

O coração não foi feito para sentir raiva,
isso pode afetar as coronárias.

O coração não foi feito para o egoísmo,
isso pode reduzir a distribuição de sangue.

O coração não foi feito para sentir tristeza,
 isso pode causar um infarto.

O coração não foi feito para sentir ansiedade,
 isso pode causar arritmia.

O coração foi feito para guardar alegria,
isso pode limpar as coronárias.

O coração foi feito para sentir felicidade,
isso pode melhorar o batimento.

O coração foi feito para amar,
 isso pode melhorar o ritmo.

O coração foi feito para perdoar,
isso pode fortalecê-lo.

Esqueça os maus pensamentos e
 cultive os bons ensinamentos.

Assim, estará aumentando os anos de vida do seu coração.”

Esse livro você pode encontrar na Livraria Paulinas
 site: http://www.paulinas.org.br/
ou 0800 70 100 81

MULHERES GUERREIRAS DE FÉ


O especial desse sábado no programa "Nos passos de Paulo", será sobre o Grupo Cantores de Deus. Você irá conhecer a história dessas pessoas maravilhosas através de fatos e canções. São Elas: Dalva Tenório, Karla Fioravante e Andréia Zanardi.

Confira o Vídeo
Mulheres









sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

COMENTÁRIO DAS LEITURAS

I DOMINGO DA QUARESMA – Ano B

Leituras: 1ª Leitura: Gn 9,8-15; Salmo 24 (25); 2ª Leitura:1 Pd 3,18-22; Evangelho: Mc 1,12-15
Por Gabriel Frade*
“Arrependei-vos e crede ao Evangelho!”

Este primeiro domingo da quaresma nos apresenta a imagem de Noé e de seus filhos desembarcando da arca juntamente com todos os animais. Deus, em Noé e sua prole, firma uma aliança eterna com todo o gênero humano e com toda a criação, comprometendo-se em nunca mais destruir a obra de suas mãos.
A imagem da arca de Noé é uma das figuras mais antigas usadas pelas primeiras gerações de cristãos para expressar a salvação de Deus presente em meio aos homens. De fato, ela é também imagem da Igreja e apresenta-se como um tema recorrente nas antigas pinturas das catacumbas, isto é, os primeiros cemitérios cristãos da Roma antiga. Na segunda leitura, o autor nos lembra que na arca havia oito pessoas, número simbólico no cristianismo antigo para designar o Cristo Filho de Deus Salvador.
Enquanto figura da Igreja, não deixa de ser interessante imaginar toda uma série de animais predadores convivendo por 40 dias e 40 noites com suas respectivas presas num espaço tão exíguo como era aquele da arca, abrindo mão de seus instintos em função da sobrevivência de todos. De certo modo podemos ver nessa situação tão fora de padrão uma metáfora que diz a própria Igreja: apesar de tantas diferenças entre os cristãos, o mistério da comunhão prevalece e revela a Igreja numa de suas notas fundamentais: a Igreja é católica, é espaço visível do “arco íris” de Deus, isto é, do caminho de amor e de verdade (salmo responsorial) para a humanidade pecadora e que conduz à salvação em Cristo; Ele que “morreu uma só vez pelo pecado – justo pelos injustos!” (segunda leitura).
O Evangelista Marcos nos diz que é o Espírito que impele Jesus para o deserto, lugar da experiência do povo eleito com Deus em meio à sua fraqueza humana. Lá Jesus era tentado em sua humanidade por Satanás e vivia em meio às feras: quem sabe se não é uma possível alusão àqueles mesmos animais ferozes que surpreendentemente viveram em comunhão dentro da arca de Noé. Jesus sai vitorioso dessas situações e anuncia o Reino de Deus, convidando a todos se arrependerem e a acreditarem no evangelho: quando permitimos que Deus se faça presente em meio às nossas paixões, às nossas fraquezas humanas, às nossas “feras pessoais”, é possível vencê-las, é possível experimentar em nosso hoje a força libertadora do anúncio de Jesus e os “anjos de Deus” que se põem ao nosso serviço na santa liturgia.



*Gabriel Frade é leigo, casado e pai de três filhos. Graduado em Filosofia e Teologia pela Universidade Gregoriana (Roma), possui Mestrado em Liturgia pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora D’Assunção (São Paulo). Atualmente é professor de Liturgia e Sacramentos no Mosteiro de São Bento (São Paulo) e na UNISAL – Campus Pio XI. É tradutor e autor de livros e artigos na área litúrgica.

ESPECIAL REGINALDO VELOSO


Especial Reginaldo Veloso!
Ouça o programa amanhã, dia 24 de fevereiro, às 20:00 horas, aqui pelo blog.
Falaremos da vida e missão do grande cantor e compositor católico: Reginaldo Veloso.
Você terá a oportunidade de ouvir suas lindas canções!
Rádio 9 de Julho, AM, 1600.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Comentário das Leituras




Quarta feira de cinzas– Ano B
Leituras: Jl 2, 12-18; Sl 51; 2Cor 5, 20-6,2; Mt 6, 1-6.16-18.
Por Gabriel Frade*

A liturgia desta quarta feira de cinzas é um convite à conversão do coração. De fato, esta é a tônica da primeira leitura, ao enfatizar a necessidade de “rasgar o coração e não as vestes”. Essa afirmação do profeta e o convite à reconciliação do Apóstolo Paulo (segunda leitura) nos deveriam ajudar a enxergar no gesto de receber as cinzas sobre a cabeça a expressão de uma vontade interior de conversão, de retorno para o Senhor. Do contrário, podemos correr um sério risco de transformar esse rito numa espécie de gesto mágico, de libertação dos eventuais exageros cometidos ao longo do carnaval.
Num primeiro momento deveríamos nos perguntar sobre nossa atitude interior diante desta liturgia e sobre nosso testemunho de vida enquanto cristãos. Em nossa modesta experiência, não foram poucas as vezes que encontramos pessoas críticas em relação a essa celebração: muitos jovens, desejosos de experiências verdadeiras, de proximidade com Deus, por vezes expressam seu mal estar ao ver um grande número de católicos se aproximarem da Igreja para receber um gesto sacramental que, na opinião dessas pessoas, não condiz com a prática de vida desses católicos, na maioria das vezes conhecidos por eles.
Para eles, o gesto da imposição das cinzas torna-se um ato de hipocrisia, um ato que contradiz a mensagem evangélica...
Acusação grave que deveria nos colocar diante de Deus na atitude humilde do salmista: "Pequei contra ti, somente contra ti, praticando o que é mau aos teus olhos". "Ó Deus, cria em mim um coração puro e renova no meu peito um espírito firme..." (Sl 51 [50], 6.12).
Porém, num segundo momento, deveríamos ver como a liturgia ultrapassa o mero esforço humano, o simples moralismo, ao nos colocar numa perspectiva outra, em conexão direta com a graça de Deus.

Nos evangelhos dos domingos anteriores, Jesus se apresentava como aquele que enxerga no íntimo dos seres humanos, que se compadece pelas pessoas que o procuram com o coração sincero e que, por certo, não encontravam lugar na miopia das instituições religiosas do tempo de Jesus. Nesta quarta feira de cinzas, Jesus agora nos mostra o “olhar do Pai”, olhar que enxerga dentro dos corações e que convida aos homens e mulheres de todos os tempos a fazerem a experiência da comunhão com ele, comunhão possível apenas se o homem se abrir à ação divina.
Além de iniciarmos o tempo da quaresma, isto é, os quarenta dias de preparação para a Páscoa, no Brasil hoje começa a Campanha da Fraternidade (CF), que neste ano tem o lema: Que a saúde se difunda sobre a terra”.

Próxima de completar seus cinquenta anos de idade, a CF 2012 quer nos mostrar o pecado dos homens influenciando nas estruturas sanitárias do país: o acesso à saúde não pode ser privilégio de poucos, mas deve contemplar a todos; não pode ser mercadoria, mas deve refletir a dignidade presente em todo ser humano.
Que este princípio de quaresma seja o início de um nosso caminhar em direção ao Deus da vida que, de sua parte, vem ao nosso encontro para nos conceder a vida em abundância.

*Gabriel Frade é leigo, casado e pai de três filhos. Graduado em Filosofia e Teologia pela Universidade Gregoriana (Roma), possui Mestrado em Liturgia pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora D’Assunção (São Paulo). Atualmente é professor de Liturgia e Sacramentos no Mosteiro de São Bento (São Paulo) e na UNISAL – Campus Pio XI. É tradutor e autor de livros e artigos na área litúrgica.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

ADRIANA ARYDES



COISAS QUE VIVI
Amanhã, sábado, o programa será um especial sobre a cantora Adriana Arydes.
Não perca! Você pode ouvir pelo rádio: Rádio 9 de Julho AM 1600, ou aqui no blog, basta acessar o link WEB RÁDIO PAULINAS.
Das 20:00 às 21:00 horas: programa nos passos de Paulo
Te esperamos!




ESPECIAL ADRIANA ARYDES





 



terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

SERVO OU SENHOR?


Olá amigos do programa: Nos passos de Paulo!
Graça e paz!

Em um mundo em que todos querem ser senhores e senhoras de si mesmos, em que muitas vezes a ganância de ter e o  individualismo imperam. Como falar do serviço ao Reino de Jesus, às pessoas?

Nós não somos senhores e senhoras de nada, somos apenas servos e servas de Jesus Cristo.
É o que nos ensina São Paulo apóstolo.

O dinheiro, o ter, o prazer, não nos trazem a felicidade. Servir Jesus Cristo e aos irmãos sim.

Paulo se fez servo e apóstolo de Jesus Cristo por amor.

"Servidores de Deus", é o tema do nosso programa de hoje.

Quem nos ajudará a refletir sobre esse assunto é a irmã Agda França. Não percam! Programa Nos passos de Paulo, às 20:00 horas pela rádio 9 de Julho, AM 1600.