segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Seguidores dos Passos de Paulo...

No dia 10 de Outubro esteve no Programa Nos Passos de Paulo a Irmã Jilvaneide, da Congregação de Nossa Senhora de Sion, que partilhou conosco um pouco da riqueza do Carisma da Congregação e da vida do fundador! Riqueza essa que colocamos aqui a disposição dos nossos amigos e seguidores que desejam conhecer um pouco mais sobre este Carisma na Igreja!
Congregação Nossa Senhora de Sion
"A Congregação foi fundada "para ser, na Igreja e no mundo, testemunha da fidelidade de Deus ao seu amor pelo povo judeu e para apressar o cumprimento das promessas referentes aos judeus e aos gentios". (Constituições art.2)


A Congregação Nossa Senhora de Sion, iniciou-se em setembro de 1843 sob a direção do Padre Teodoro Ratisbonne, mas sempre sob a influência de seu irmão Afonso Maria Ratisbonne, o qual era Jesuíta. Somente em 1852, este junta-se a Pe. Teodoro nessa obra. Nasce também o instituto dos Religiosos de Nossa Senhora de Sion. O ramo contemplativo, desejado por Pe. Teodoro, nasce somente em 1926, embora em 1852 ele já havia dito: “O principal apostolado das Filhas de Sion se exerce pela oração. Será preciso retornar à nossa primeira idéia de um santuário oculto onde arderá a lâmpada da oração enquanto as outras irmãs estão engajadas no trabalho apostólico. Esta idéia está muito clara em meu espírito.”

Teodoro Ratisbonne, nascido em Estrasburgo em 1802, de uma família judia em via de assimilação, recebera uma educação cheia de retidão e de afeição, mas de pouca formação religiosa. Escreve: "Não gostava da minha religião nem de todas as outras". De sua confusão brotou um dia esta oração: "Ó Deus, se existes realmente, faze-me conhecer a verdade, e juro que consagrarei a ela minha vida"

"Sion é o verdadeiro nome de família da Santíssima Virgem."
(Teodoro Ratisbonne)

O nome Nossa Senhora de Sion escolhido pelo fundador, indica o sentido que tem, para nós, a pessoa de Maria. Filha de Sion por excelência, Maria viveu plenamente a fé e a esperança de seu povo. Disse sim à Palavra de Deus e se tornou mãe de Jesus que ela acompanhou até a cruz. Estava presente à Igreja que nascia. De posse da plenitude da redenção, ela nos aponta o destino ao qual somos todos chamados.(Constituições art. 9)
Nome Bíblico de Jerusalém, Cidade da Paz, símbolo do povo de Israel, a quem Maria pertence. É também a Jerusalém do fim dos tempos, para a qual nós caminhamos, lugar do ajuntamento na unidade de Israel e das nações.

"Essa palavra lembra todas as esperanças de nossa vocação."
(Teodoro Ratisbonne)

Pe. Teodoro Ratisbone deixou muito escritos: Cartas, Palestras, Conferencias, meditações, retiros, biografias, etc. Tudo isso com a intenção de acompanhar, com zelo de um fundador, a formação espiritual das Irmãs. Sua principal fonte e a bíblia e a orientação da Igreja. Veremos algumas citações onde ele menciona textos do Apóstolo Paulo ou refere-se a sua pessoa.

“Os discípulos não são mais seres distintos de Jesus Cristo; eles vivem em uníssono com ele; tem os mesmos sentimentos, a mesma vontade, os mesmos sentimentos.... e enfim a dizer com São Paulo: ‘Eu vivo. Mas não sou eu que vive, é Jesus Cristo que vive em mim’ Gl, 2,20.
(Teodoro Ratisbonne)


“Jesus quis que todos formassem uma única família da qual ele mesmo é o coração, o núcleo e a vida. Não somente uma unidade exterior, é também uma unidade interior, como diz o Apóstolo Paulo: ‘Um só Espírito, um só Corpo’... Professamos todos a mesma fé, recebemos os mesmos ensinamentos...”
(Teodoro Ratisbonne)

“... O Divino Salvador não vem apenas visitar o homem em geral; ele estende sua solicitude a cada um de nós em particular; e todo cristão pode dizer com São Paulo: ‘Ele me amou e se entregou por mim’ Gl 2,20”
(Teodoro Ratisbonne)

Nenhum comentário:

Postar um comentário