sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Vocação à Solidariedade...



O povo Haitiano clama!


São muitos os clamores que brotam do sofrimento deste povo.

• Clamor da necessidades básicas para sobreviver: Uma população faminta, sem água potável e sem espaços comuns de vida que estejam limpos e livres da contaminação. Os lugares para viver carecem de privacidade e de condições adequadas para suportar as inclemências do clima tropical.
• Clamor por educação e participação: Crianças e jovens sem ter acesso a algum tipo de educação, infraestruturas educacionais deficientes e precárias. Percebe-se a boa vontade de professores que, apesar de mal pagos e nem sempre bem preparados, se esforçam para dar aulas; famílias pobres que fazem enormes sacrifícios para mandar seu filhos e filhas à escola.


• Clamor por uma vida digna: Famílias desfeitas, desempregados (as) e, particularmente, mulheres com dificuldades de acesso à higiene, à saúde, à educação, vítimas de abuso sexual; crianças com fome, sem roupa para vestir, vivendo na rua e cerca se 225 mil (na sua maioria meninas) submetidas a trabalhos domésticos, sofrendo violência física, sexual e psicológica.
• Clamor por relações geradoras de vida: Pessoas sensíveis, particularmente, crianças, de braços abertos, esperando uma expressão de carinhos e de acolhida, um aperto de mão; pessoas traumatizadas, desprotegidas, que clamam por relações que as tirem do anonimato e as tornem protagonistas do seu futuro.
• Clamor por um caminho de fé e de comunhão eclesial: A Igreja Católica haitiana é rica em vocações nativas e enfrenta o desafio da formação dos candidatos ao sacerdócio e à vida religiosa. Torna-se urgente uma pastoral de reconstrução das comunidades, com o processos graduais de fé e de vida.


O terremoto revelou e agravou a situa que já era grave, mas o povo não perdeu a esperança. Reconstruir o Haiti não é apenas reconstruir as casa destruídas, mas reconstruir o tecido social das famílias desfeitas, das pessoas traumatizadas, do desrespeito à dignidade humana. Para esta gigantesca tarefa todos nós estamos convocados a prestar nossa solidariedade.


SOS HAITI:
Se você deseja ajudar pode fazer a sua contribuição por meio da CARITAS ARQUIDIOCESANA DE SÃO PAULO.
BANCO ITAÚ - AG. 0057
CONTA CORRENTE. 17.627-3.

Um comentário:

  1. Partilhamos com vocês, seguidores dos Passos de Paulo, este bonito testemunho de Solidariedade que nos foi envisdo pelo ouvinte Samuel, de Santo Amaro - São Paulo.

    Bom dia, Irmã Rosa, e todas irmas Paulinas!

    Sou Samuel, filho da Mônica, de Santo Amaro, que sempre ouve o seu programa e as vezes liga também na rádio.
    Outro dia estavamos ouvindo o programa que falou da solidariedade, muito lindo por sinal, e ela pediu para que eu escreve contando o que faço para a solidariedade.
    Não é nada demais. Mas tem um irmão de Rua que mora ao lado da empresa onde trabalho. Ele mora na garagem de uma casa abandonada. Eu nunca o vi, mas sempre vejo a cabaninha que ele monta com os cobertores. Do lado da cabaninha ele tem várias imagens de Jesus e Maria, como um pequeno templo.
    Outro dia, deixei no cantinho da casa, um caixinha com um lanche, um suco e uma fruta. Quando passei horas depois, vi esta caixinha, ao lado da cabana dele, junto as imagens de Jesus.
    Fiquei emocionado ao ver a importancia que ele deu à caixinha, que nós as vezes não valorizamos.
    Tinha um pequeno rádio lá em casa, da minha mãe. Rádio de pilha. Eu o coloquei em uma sacola, com pilhas extras, já sintonizado ná Radio 9 de Julho e uma Mensagem: " Amigo, espero que goste do presente."
    E deixei dentro do portão da garagem onde ele mora. Não sei se ele ouve o rádio, se ele gostou... Mas sei que mais que ganhar comida, ele sabe que alguem se importa com ele. Talvez seja mais um motivo para não desistir.
    Sempre que posso, rezo por ele e levo algo que eu tiver aqui.
    Adoro o programa de vocês! Comecei a ler a bíblia ( eu não lia antes ) e estou me interessando mais por tudo!

    Deus abençoe a todas(os) vocês!!
    Abraço!

    ResponderExcluir