terça-feira, 30 de agosto de 2011

O Apóstolo Paulo fala hoje...

“A minha função Sagrada é anunciar o Evangelho” Rm 15,16
Para o Apóstolo Paulo, anunciar o Evangelho, não era um passa tempo, uma tarefa de férias, dos domingos e feriados. Era uma vocação que lhe fora oferecida pelo próprio Deus e pela qual ele se sentia obrigado em consciência, tanto que dizia: “Ai de mim se não anunciar o Evangelho!”.

Evangelizar não é uma profissão, um trabalho, do qual provém seu salário, mas é uma vocação, um convite de Deus para participar da missão de Jesus. A ordem de Jesus, quando subiu ao Céu: “Ide e anunciai o Evangelho a toda criatura”, não era só para os Apóstolos, os sacerdotes e religiosos, mas era para todos os batizados.
Ir. Esther Thomasi, fsp

sábado, 27 de agosto de 2011

Seguidores dos Passos de Paulo...

SANTO AGOSTINHO...
... E O APÓSTOLO DOS GENTIOS
Muita coisa une o Bispo de Hipona ao Apóstolo dos gentios. Embora Santo Agostinho não tenha escrito nada diretamente ligado à pessoa do Apóstolo, se dedicou piamente sobre suas cartas. Depois dos Santos Evangelhos é o que mais inspira os escritos agostinianos. A maior dedicação de Agostinho sobre as obras do corpus paulinum seguem o modelo da literatura clássica grega, os comentários (explicações sistemáticas). Sua pretensão era trazer à luz o autêntico pensamento do Apóstolo, sobretudo para uma melhor e maior compreensão dos escritos.
“A necessidade de uma justa interpretação das epístolas paulinas explica-se, ainda que não exclusivamente, pelas controvérsias doutrinais ocorridas entre 350 e 450 (o auge do trabalho intelectual e eclesial de Agostinho, é entre 388 e 420) sobre a pessoa e a natureza de Cristo, o significado da salvação e a condição humana; além disso, as cartas paulinas eram comuns ao variado universo de interlocutores nestas mesmas controvérsias, isto é, a ortodoxos e a heterodoxos. Mas também havia o interesse por Paulo sob um prisma espiritual, moral e ascético: o Apóstolo tornara-se modelo de conversão. Esses motivos não se excluem. Podem até mesmo confluir. Fato é que Agostinho insere-se entre os comentadores do corpus paulinum bastante alerta quanto às controvérsias mencionadas”. (COLEÇÃO, p. 11-12)
Embora não pareça ter como objetivo primeiro, em seus escritos, estas controvérsias. Fruto da leitura amadurecida dos escritos do Apóstolo, toda teologia agostiniana, sobretudo com relação à lei e à graça, é marcadamente paulina.
Além de todo o contato intelectual-eclesial com as epístolas de Paulo, dois fatos profundamente singulares aproximam ainda mais suas figuras. O primeiro é que durante sua ávida busca pela verdade, já num segundo contato com Escritura, Agostinho enxerga como benéfica a leitura de são Paulo:
“Lancei-me avidamente à venerável Escritura inspirada por ti, especialmente à do apóstolo Paulo. Desvaneceram-se em mim as dificuldades, segundo as quais me parecia, algumas vezes, haver contradição na Bíblia e incongruência entre o texto dos discursos dele e os testemunhos da Lei e dos Profetas. Compreendi o aspecto único de sua fisionomia e aprendi a exultar com tremor.” (CONFISSÕES, VII, 21).
Além deste, outro momento chave é a cena de sua conversão. Santo Agostinho decide-se radicalmente pelo cristianismo quando tem contato com um trecho da carta aos Romanos (cf. Rm 13, 13):
“... Deixei-me, não sei como, cair debaixo de uma figueira e dei livre curso às lágrimas que jorravam de meus olhos aos borbotões, como sacrifício agradável a ti. E muitas coisas eu te disse (...) ‘Por quanto tempo direi ainda amanhã, amanhã? Por que não agora? (...) Eis que de repente, ouço uma voz vinda da casa vizinha. (...) ‘Toma e lê, toma e lê’ (...) Peguei-o (o livro do Apóstolo. grifo nosso), abri-o e li em silêncio o primeiro capítulo sobre o qual caiu o meu olhar: ‘Não em orgias e bebedeiras, nem em devassidão e libertinagem, nem em rixas e ciúmes. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e não procureis satisfazer os desejos da carne’. (...) Mal terminara de ler dissiparam-se em mim as trevas da dúvida...”. (CONFISSÕES, VIII, 12).
Foi um escrito de São Paulo que encorajou o Hiponense a ser radicalmente cristão.

Frei Felipe da Cruz, OSA.
Novembro 2010.


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Na nossa fraqueza se manifesta a força de Deus!

O Apóstolo Paulo tinha consciência de sua condição humana e, a partir dessa condição, procurou responder ao chamado de Deus. Podemos dizer que o passo decisivo de sua vida no seguimento de Jesus foi a partir dessa sua realidade humana limitada. Por isso ele escreve a comunidade dos Coríntios: “Se é preciso me gloriar, é da minha fraqueza que me gloriarei”
A partir do encontro que Paulo teve com Jesus no caminho de Damasco, entendeu que por sua próprias forças jamais poderia dar o passo mais importante que deu em sua vida. Lá onde percebeu que não podia fazer melhor é que pôde começar uma nova relação com Deus.
“Para você basta a minha graça, pois é na fraqueza que a força de Deus manifesta todo o seu poder” estas Palavras de Paulo podem até parecer um paradoxo, uma coisa contrária, como pode ser que na fraqueza a força se manifeste? Mas é exatamente essa a sua experiência. Quando ele se sentia fraco, pelas dificuldades da missão, pela não aceitação do Evangelho por parte de alguns e até mesmo pelos seus sofrimentos físicos, aí ele podia contar unicamente com a graça de Deus que vinha em auxilio de sua fraqueza, por meio de tantas pessoas, coisas e acontecimentos.
Em nossa vida também nos deparamos com situações semelhantes a essas que aconteceram ao Apóstolo Paulo. Muitas vezes, situações que não sabemos como enfrentar, mas que, pela graça de Deus, conseguimos superar. Aí vemos presente a mão de Deus que não nos abandona, e percebemos que podemos nos colocar ao seu serviço com todo o nosso ser pois ele completa aquilo que em nós falta, é Ele que nos dá a coragem necessária para enfrentarmos os desafios da vida!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Santa Rosa de Lima - Padroeira da América Latina e das Filipinas.

Isabel Flores y de Oliva nasceu na cidade de Lima, capital do Peru, no dia 20 de abril de 1586. A décima dos treze filhos de Gaspar Flores e Maria de Oliva. À medida que crescia com o rosto rosado e belo, recebeu dos familiares o apelido de Rosa, como ficou conhecida. Seus pais eram ricos espanhóis que se haviam mudado para a próspera colônia do Peru, mas os negócios declinaram e eles ficaram na miséria.

Santa Rosa de Lima, a primeira santa canonizada do continente americano e declarada patrona da América Latina. Como leiga e membro da ordem terceira dominicana, conseguiu harmonizar a vida de oração com o serviço aos pobres, aos doentes e aos marginalizados de seu tempo.
O grande anseio de sua vida foi tornar-se missionária, proclamar o Evangelho, tornar Jesus conhecido, amado e reconhecido em cada pessoa, sobretudo as mais carentes e necessitados.

Hoje, Rosa de Lima continua sua missão, convidando-nos a ser testemunhas de fé e comunicadores da mensagem evangélica em qualquer lugar.  

Se você quer conhecer melhor a história de Santa Rosa de Lima, acesse o site: http://www.paulinas.org.br/diafeliz/santo.aspx?Dia=23&Mes=8&SantoID=365 e conheça os Livros e o DVD que conta a história dessa querida Santa.

domingo, 21 de agosto de 2011

Homenagem a todos os Religiosos e Religiosas em seu dia!

ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES
Senhor Jesus Cristo, tu, que és o Bom Pastor a levar as ovelhas para as nascentes da água pura; tu, que as conduzes para a felicidade da Casa Paterna – dá-nos, hoje, pastores que nos orientem, no meio de tantas ameaças a atormentar nossa vida!
Tu, que és Palavra do Pai, dá-nos pregadores que saibam viver o evangelho, antes de proclamá-lo! Pregadores que tenham a coragem de deixar-se investir em pleno rosto do teu Espírito, para que saibam falar-nos do amor e da justiça, do jeito que tu falavas.
Tu, que és o Caminho para cada ser humano a pisar neste mundo, não nos deixes sozinhos no meio deste deserto! Coloca a nosso lado mulheres-caminho e homens-caminho, firmes na fé e na esperança; que se prontifiquem em tomar-nos pela mão, apontando-nos o caminho do teu Reino!
Tu, que és a Verdade a afugentar as trevas do mundo, não nos deixes sem luz, no meio de tanta escuridão! Dá-nos contemplar, no semblante de nossos pastores, a luminosidade de teu amor que salva e liberta: única força capaz de vencer o ódio e reerguer todos aqueles que nunca se sentiram amados!
Tu, que és a Vida e entregaste teu Corpo para a vida do mundo, não nos deixes morrer de fome neste reduto de egoísmo! Que todos os nossos pastores, religiosas e religiosos sejam como tu: prontos para repartir-nos o Pão do espírito, ensinando-nos a repartir o pão do corpo com nossos semelhantes.
Senhor não nos deixes faltar operários para a vinha que a mão do Pai plantou! Nem pastores para as ovelhas que tu amaste até a morte de cruz!
Homens e mulheres capazes de tornar-se “eucaristia”: vidas consagradas ao amor fraterno! Pois é disso que estamos precisando, para que não percamos o rumo da verdadeira VIDA!
Pe Virgílio, SSP

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Abertura das comemorações do centenário da Família Paulina


...Carta de Paulo à humanidade de hoje! (cf.2 Cor 3, 2-3)

Em 2014, a Família Paulina completará 100 anos de presença na Igreja. Por ocasião do quadragésimo ano de fundação, o Bem-aventurado Tiago Alberione, fundador da Família Paulina, afirmou: “Dia 20 de agosto de 1914, uma hora de adoração ao Santíssimo Sacramento e a bênção da minúscula tipografia, iniciava-se a Família Paulina…”, com a fundação dos Padres e Irmãos Paulinos. A esta se seguiu a fundação de quatro Congregações femininas com finalidades próprias, diversas e independentes uma da outra: Irmãs Paulinas; Irmãs Discípulas do Divino Mestre; Irmãs Pastorinhas; Irmãs Apostolinas. Fundou também os Institutos: Santa Família (para casais); São Gabriel Arcanjo (Gabrielinos, para homens); Jesus Sacerdote (para padres diocesanos e bispos diocesanos); Nossa Senhora da Anunciação (Anunciatinas, para mulheres). Todos unidos entre si pelo mesmo ideal de santidade e apostolado: levar Jesus Cristo a todas as pessoas através das várias formas de comunicação social. Organizou, também, leigos e leigas para que estivessem estreitamente ligados à missão e à espiritualidade de suas fundações e, assim, nasce a União dos Cooperadores Paulinos.

Abertura oficial das atividades em preparação à celebração do centenário de fundação da Família Paulina, no Brasil, será no dia 20 de agosto, com uma missa no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP), às 20 horas, com a presença de 250 membros da Família Paulina. Essa missa terá como motivação principal a abertura oficial das atividades em preparação à celebração do Centenário de fundação da Família Paulina.

O evento será transmitido para o País pela TV Aparecida, Rede Católica de Rádio, pelos sites: http://www.a12.com.br/;
http://www.paulinas.org.br/; http://www.paulinos.org.br/, Confirmaram que entrarão em rede na retransmissão da Santa Missa as TVs: REDE NAZARÉ DE TELEVISÃO, Belém (PA); TV MILÍCIA DA IMACULADA, Campo Grande (MS); TV HORIZONTE - Belo Horizonte – MG.

Fonte:
http://www.paulinos.org.br/novo/noticias_vis.php?id=3074

Vocação à Solidariedade...



O povo Haitiano clama!


São muitos os clamores que brotam do sofrimento deste povo.

• Clamor da necessidades básicas para sobreviver: Uma população faminta, sem água potável e sem espaços comuns de vida que estejam limpos e livres da contaminação. Os lugares para viver carecem de privacidade e de condições adequadas para suportar as inclemências do clima tropical.
• Clamor por educação e participação: Crianças e jovens sem ter acesso a algum tipo de educação, infraestruturas educacionais deficientes e precárias. Percebe-se a boa vontade de professores que, apesar de mal pagos e nem sempre bem preparados, se esforçam para dar aulas; famílias pobres que fazem enormes sacrifícios para mandar seu filhos e filhas à escola.


• Clamor por uma vida digna: Famílias desfeitas, desempregados (as) e, particularmente, mulheres com dificuldades de acesso à higiene, à saúde, à educação, vítimas de abuso sexual; crianças com fome, sem roupa para vestir, vivendo na rua e cerca se 225 mil (na sua maioria meninas) submetidas a trabalhos domésticos, sofrendo violência física, sexual e psicológica.
• Clamor por relações geradoras de vida: Pessoas sensíveis, particularmente, crianças, de braços abertos, esperando uma expressão de carinhos e de acolhida, um aperto de mão; pessoas traumatizadas, desprotegidas, que clamam por relações que as tirem do anonimato e as tornem protagonistas do seu futuro.
• Clamor por um caminho de fé e de comunhão eclesial: A Igreja Católica haitiana é rica em vocações nativas e enfrenta o desafio da formação dos candidatos ao sacerdócio e à vida religiosa. Torna-se urgente uma pastoral de reconstrução das comunidades, com o processos graduais de fé e de vida.


O terremoto revelou e agravou a situa que já era grave, mas o povo não perdeu a esperança. Reconstruir o Haiti não é apenas reconstruir as casa destruídas, mas reconstruir o tecido social das famílias desfeitas, das pessoas traumatizadas, do desrespeito à dignidade humana. Para esta gigantesca tarefa todos nós estamos convocados a prestar nossa solidariedade.


SOS HAITI:
Se você deseja ajudar pode fazer a sua contribuição por meio da CARITAS ARQUIDIOCESANA DE SÃO PAULO.
BANCO ITAÚ - AG. 0057
CONTA CORRENTE. 17.627-3.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Jornada Mundial da Juventude - Madri - 2011

"Enraizados e edificados em Cristo,
firmes na fé" (Col 2, 7)

Com esse tema da carta de São Paulo aos Colossenses, teve início no dia 16 de Agosto a Jornada Mundial da Juventude em Madri!

“A carta, da qual foi tirado esse convite, estai "enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé" (cf. Col 2, 7), Foi escrita por São Paulo para responder a uma necessidade concreta dos cristãos da cidade de Colossos. Aquela comunidade, de fato, estava ameaçada pela influência de certas tendências culturais da época, que afastavam os fiéis do Evangelho.
O apóstolo Paulo recorda aos irmãos, contagiados pelas ideias contrárias ao Evangelho, o poder de Cristo morto e ressuscitado. Esse mistério é o fundamento de nossa vida, o centro da fé cristã. Todas as filosofias que o ignoram, considerando-o "loucura" (1 Co 1, 23), mostram seus limites diante das grandes perguntas presentes no coração do homem. "Quem é o vencedor do mundo senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?" (1 Jo 5, 5). A vitória que nasce da fé é a do amor. Quantos cristãos foram e são um testemunho vivo da força da fé que se expressa na caridade.
Cristo não é um bem somente para nós mesmos, mas é o bem mais precioso que temos para compartilhar com os demais. Na era da globalização, sejais testemunhas da esperança cristã no mundo todo: são muitos os que desejam receber esta esperança.”
Escreve o Papa Bento XVI em sua mensagem dirigida aos jovens, e que você pode ler na integra acessando: http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=277672



Hino da Jornada Mundial da Juventude - 2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Vocação do Apóstolo Paulo!

5ª Luz
Presença de Deus na vida de Paulo
Para o Apóstolo, a experiência com Deus se deu num nível, muito mais que radical, pois foi experiência “vital”. Quanto à lei judaica era fariseu zeloso e irrepreensível e levava até as últimas conseqüências sua fé. Como cristão, conservou essa característica impetuosa. A partir da revelação de Jesus em sua vida, tudo para ele tornou-se lixo em comparação com o bem superior que é conhecimento de Jesus Cristo (cf. Fl 3, 8). Conhecimento este que não pode ser enquadrado nos padrões filosóficos e teóricos, e sim no enlace da experiência e da vivência das relações humanas. Paulo, um homem culto, doutor da Lei e de futuro promissor, lança tudo para o alto e valoriza unicamente a pessoa de Cristo a ponto de sua própria existência passar a afirmar e anunciar que viver é Cristo (cf. Fl 1, 21). A vida e o anúncio de Paulo são interligados e decorrem do Mistério de Deus vivido por ele: a missão e a vivência nascem da força do amor de Jesus que o possui por inteiro; Jesus encontra espaço no ser de Paulo, e Paulo cada vez mais deixa Jesus habitar soberano em seu coração.

sábado, 13 de agosto de 2011

SER PAI...

Ser pai... é uma missão divina e também uma das mais complexas concedidas ao homem, pois exige preparo, amor, renúncia e muita dedicação.
Ser pai... é muito mais do que cumprir um papel dentro da família e da sociedade,
é assumir a paternidade com amor e responsabilidade.
Ser pai... não é apenas ter o privilégio de gerar filhos, mas é ter a responsabilidade de educá-los para que cresçam de forma sadia e equilibrada.
Ser pai... é ensinar e orientar os filhos no caminho que devem andar.
É estar presente nos momentos alegres e oferecer o ombro amigo nas dificuldades.


Ser pai... é dar conselhos e encorajar quando os filhos precisam. É se importar com as coisas que são importantes para eles.
Ser pai...é vibrar com o sucesso e conquistas dos filhos, torcendo pela sua realização pessoal e profissional.

Ser pai... é educar os filhos para que saibam viver a liberdade de forma responsável, sem perder os valores e bons princípios.
Ser pai... é buscar na Palavra de Deus as respostas necessárias para o exercício da paternidade responsável. A Palavra de Deus é imprescindível para orientar, ensinar, educar e corrigir a trajetória humana.
Ser pai é para sempre... mesmo que não esteja mais presente fisicamente!
É deixar na lembrança, o exemplo, a saudade e os gestos de carinho.
Obrigado Pai... pelos beijos, abraços, risos, alegrias e por todos
os momentos que compartilhamos juntos.
Obrigado Pai... por todas as vezes que você demonstrou o quanto me ama e se importa comigo através dos seus gestos e de suas palavras.
Obrigado Pai...pelos exemplos que transmitem a nobreza de caráter, a virtude da honestidade e a postura correta de seus procedimentos.
Obrigado Senhor pelo meu PAI!
“Ouvi, filhos meus, a instrução de um pai; sede atentos, para adquirir a inteligência”.
(Pv 4,1)

(Rosemary Ross)

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O Apóstolo Paulo nos fala hoje...


"Por tudo dai graças!"

(S. Paulo em oração - Claudio Pastro)

No Salmo da liturgia de hoje vemos que o Salmista exalta a misericórdia de Deus. Também nós devemos rezar com ele: Demos graças ao Senhor porque Ele é bom, porque eterno é o seu amor por nós!
Como é bom, espontaneamente agradecer! São Paulo é o Apóstolo da ação de graças. Ele nos dá o exemplo e nos convida a sermos agradecidos. Jesus também dava graças ao Pai pelas maravilhas que fazia. É sabedoria e experiência popular afirmar que: agradecer é condição para receber mais.

Ir. Esther Thomasi, fsp

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Seguidores dos Passos de Paulo

Queremos convidar você a acompanhar o Programa Nos Passos de Paulo de hoje, 11 de Agosto, onde teremos a partilha da Ir. Gisele e Rita a respeito da vida e missão de Clara de Assis! Pois, hoje, Comemoramos com a Família Franciscana e Clariana a vida e vocação dessa grande mulher, que na sua humildade e obediência à vontade de Deus, deixou tudo para entregar-se a Cristo Pobre como Virgem Pobre.


No vídeo abaixo, você acompanha um pouco da História de Santa Clara e de como vivem asIrmãs Clarissas hoje.


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

IV Simpósio de Comunicação da FAPCOM

IV Simpósio de Comunicação: Filosofia e Comunicação



O Simpósio de Comunicação, visa oferecer à sociedade uma reflexão sobre temas que envolvem a cultura digital, como: A nova Teoria da Comunicação, Ética na Comunicação e O pensar as tecnologias na Cultura Digital, ministrados respectivamente pelos professores Ciro Marcondes Filho, Clóvis de Barros Filho e Rogério da Costa.

Padre Valdir José de Castro, jornalista e mestre em comunicação pela Faculdade Cásper Líbero e coordenador do evento deste ano, acredita, junto com a Fapcom, que a comunicação contemporânea, em constante mudança, especialmente com o avanço das mídias digitais, exige uma nova reflexão no âmbito cultural e ético. “Com este simpósio, queremos fomentar o debate sobre o lugar do ser humano na sociedade midiatizada e marcada pelos valores mercadológicos”, explica o professor.

O evento é gratuito e as inscrições devem ser feitas até o dia 12 de agosto de 2011, pelo site www.fapcom.com.br/simposio. Haverá emissão certificados, mediante comprovação de participação, por meio de assinatura de lista de presença.

Serviços
Data: 16 a 18 de agosto
Horário: 19h30
Local: Rua Major Maragliano, 191 – Vila Mariana
Número de vagas: 470 por dia
Inscrições pelo site www.fapcom.com.br/simposio até o dia 12 de agosto de 2011.
Contato: 0800 709 8707

Evento gratuito. Haverá certificado, mediante comprovação por assinatura em lista de presença.

O Apóstolo Paulo nos fala hoje...

“Deus ama quem dá com alegria.” 2Cor 9, 7

(O Apóstolo Paulo se configura a Cristo na cruz - Claudio Pastro)


É comum para o Apóstolo Paulo falar, recomendar a alegria em suas cartas. A alegria é uma característica da pessoa feliz consigo mesmo, com Deus e com os outros. Os salmos também cantam e nos orientam a servir a Deus com alegria. A alegria é um sinal que deve coroa as obras de Deus. Dar com alegria é dar na gratuidade, sem meias medidas, dar mais com o coração, alegre, gratuito, do que com as mãos.

Deus não obriga ninguém a dar, mas ama muito quem dá gratuitamente e com alegria. Se você não pode dar muito, materialmente, dê do pouco que você tem, mas com alegria. Como diz um ditado popular: “O pouco com Deus é muito, e o muito sem Deus é nada.” Pois quando damos, ainda que pouco, como aquela viúva do Evangelho, que em sua pobreza, deu tudo aquilo que tinha pra viver, somos recompensados com a felicidade que brota de um coração sereno. Como diz o Apóstolo, Não nos cansemos de fazer o bem, com o coração cheio de alegria!

Irmã Esther Thomasi, fsp

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Vocação do Apóstolo Paulo!

4ª Luz -
De perseguidor Paulo é perseguido
(Irmã Teresa Groselj)

Paulo pode ser considerado uma pessoa que viveu a fidelidade a sua fé a ponto de perseguir com violência os cristãos (cf. Gl 1, 13). Para Paulo eles eram infiéis e certamente sua indignação foi se tornando perseguição. Acredita-se ter sido dessa maneira o primeiro contato de Paulo com os seguidores de Jesus, judeus, em sua maioria, pobres e que além de impuros, pensavam que o Messias era Jesus, um crucificado, considerado maldito. Essa situação confundiu Paulo totalmente. Os cristãos perseguidos se diziam justificados e salvos por Jesus, enquanto Paulo desejava e buscava a justificação e o encontro com Deus pela Lei. O legado da pregação de Jesus é que Deus é Pai e ama a todos, os pobres, os pecadores e impuros. Essa novidade da Boa Nova de Jesus, que no início confunde o coração de Paulo, passa a tornar-se o seu projeto de vida à medida que ele descobre essa ação amorosa de Deus, que não exige dele perfeição, mas pede-lhe sua capacidade de amar. Paulo assume um novo estilo de vida, antes perseguidor, passa agora a viver como pobre, como impuro, como escravo. Ao se identificar com os que antes perseguia se torna também ele perseguido por amor a Jesus Cristo. (cf. 2 Cor 11, 22- 26)

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Vocação do Apóstolo Paulo!

“Rogai ao Senhor da messe que envie trabalhadores para sua colheita” (Mt 9,38; Lc 10,2).
A Igreja do Brasil nos convida a refletir sobre as diversas vocações presentes na comunidade: cristãos leigos e leigas, pessoas de vida consagrada e ministros ordenados.
Todo ser humano é convidado por Deus a desenvolver e viver plenamente sua vocação. A vocação do Apóstolo Paulo se insere neste contexto de resposta ao chamdo de Deus para uma misão especial! Uma vocação que vai se firmando por causa do testemunho dos cristão que não temeram derramar o sangue para anunciar o Evangelho de Jesus de Cristo. Assim vemos o Apóstolo envolvido pela Luz que vem do alto e o cerca por todos os lados!




Vocação de São Paulo: Envolvido pela Luz!

1ª Luz
O martírio de Estevão

(Paulo estudando a Lei e no alto o apedrejamento de Estevão - Claudio Pastro)


O sangue dos mártires é a semente de novos cristãos. Antes mesmo que Tertuliano pronunciasse essa frase, ela já se tornava verdade na vida do mártir diácono Estevão e do perseguidor Saulo de Tarso. Saulo, fiel conhecedor e cumpridor da Lei, desejava em seu íntimo o encontro com o Deus Uno e Estevão, mesmo sendo apedrejado testemunha ver o céu aberto e o Filho do Homem a direita de Deus (cf. At 7, 56). Essas palavras do jovem seguidor de Jesus, certamente não passaram em vão na vida de Saulo. Como uma primeira luz, elas provocaram e transtornaram o seu ser.



2ª Luz
A luz maior: O encontro de Jesus e Paulo
no caminho de Damasco

(fraangelico_conversionofstpaul)


Mesmo antes de seu encontro com Jesus, podemos dizer que Paulo tinha uma extraordinária busca de Deus e um altíssimo ideal de santidade, na mais pura tradição judaica. Essa sua sensibilidade a Deus, o levou a defender com todas as forças aquilo que ele considerava o seu maior tesouro. É esse coração sensível que Jesus encontra em Paulo. E o encontro com ele foi um encontro amoroso, afetivo. Jesus acolhe Paulo com sua graça e a experiência de Damasco torna-se para ele decisiva e marcará toda sua vida. De agora em diante, ele não tem outros desejos, outros projetos, sua vida vai ser Cristo. Até ao ponto de dizer: Para mim, o viver é Cristo. (Fl 1,12)


3ª Luz
Paulo torna-se missionário do Evangelho
(Irmã Teresa Groselj)
A experiência que Paulo faz de Cristo em sua vida é tão forte e transformadora que ele não consegue conter só para ele. Como um jarro que não suporta mais a água que traz dentro de si e transborda. Desde Dasmasco, Paulo recebe a missão de anunciar o nome de Cristo entre os pagãos (cf. At 9, 15). Essa missão ele a cumpre com amor e fidelidade, não bastando os sacrifícios, os perigos, nada nem ninguém impediu Paulo de cumprir sua missão.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

São Pedro Julião Eymard - Apóstolo da Eucaristia

Hoje celebramos, com a Igreja, a festa de São Pedro Julião, Fundador dos Padres e Irmãs Sacramentinas.
E ontem no Programa Nos Passo de Paulo, tivemos a presença do Padre Ismael, que é Sacerdote Sacramentino e partilhou conosco a riqueza deste Carisma para a Igreja e para a Arquidiocese de São Paulo.


Mas vamos saber um pouco mais quem foi São Pedro Julião Eymard?


Pedro Julião Eymard nasceu no norte da França, em Esère, no dia 4 de fevereiro de 1811, primeiro filho de um casal de simples comerciantes, profundamente religioso. Todos os dias, sua mãe levava-o à igreja, para receber a bênção eucarística. Assim, aos cinco anos de idade, despontou sua vocação religiosa e sacerdotal.
Após alguns anos no ministério pastoral, em 1839, padre Eymard entrou na recém-fundada Congregação dos Padres Maristas, em Lyon. Nesta Ordem permaneceu durante dezessete anos, chegando a ocupar altos cargos. Foi quando recebeu de Maria Santíssima a missão de fundar uma obra dedicada à adoração perpétua da eucaristia.
Aliás, padre Eymard já notava que havia um certo distanciamento do povo da Igreja. Algo precisava ser feito. Rezou muito, pediu conselhos aos superiores e para o próprio papa Pio IX. Entretanto, percebeu que por meio do Instituto dos Maristas não poderia executar o que era preciso. Deixou o Instituto e foi para Paris.
Lá, em 1856, com a ajuda do arcebispo de Paris, fundou a Congregação dos Padres do Santíssimo Sacramento. E, depois de três anos, a Congregação das Irmãs de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento. Mais tarde, também fundou uma Ordem Terceira, em que leigos comprometem-se na adoração do Santíssimo Sacramento.
Muito doente, ele faleceu na sua cidade natal no dia 1o. de agosto de 1868, com apenas cinqüenta e sete anos de idade. Beatificado pelo papa Pio XI em 1925, foi canonizado pelo papa João XXIII em 1962. Na ocasião, foi designado que a memória litúrgica de são Pedro Julião Eymard deve ser celebrada em 2 de agosto, um dia após o de sua morte.


Fonte:http://www.paulinas.org.br/diafeliz/santo.aspx?Dia=2&Mes=8&SantoID=679