quarta-feira, 30 de junho de 2010

PAULO NOS FALA...FRASE DO DIA

(São Paulo e Ananias - Básilica São Paulo fora dos Muros - Roma)
“O amor é paciente, o amor é prestativo...” 1Cor 13,4
A maior prova de que o amor é paciente e prestativo, nós a temos no próprio Deus. Lendo a Bíblia, acreditamos que só Deus para ter tanta paciência ao se relacionar com o seu povo, um povo de cabeça dura e desobediente! Ainda bem que a paciência de Deus é infinita, também para conosco hoje! E Deus, em sua infinita paciência, aguardava, também, chegar à hora para a conversão de Paulo, e a hora chegou, alcançando-o no caminho de Damasco. Em várias passagens da sua vida e das cartas, encontramos em Paulo um tom ligeiramente irritado, ao constatar que as pessoas não acreditavam na sua Palavra e colocavam obstáculos a sua missão.
Mas, percebemos, também, a paciência de Paulo quando ele escreve a Timóteo, a Tito, a Filemom e em outras passagens, encontramos em Paulo uma pessoa humana, um amigo, um irmão, um pai paciente e prestativo, prova do amor que ele guarda no coração e se expressa de muitas maneiras. A imagem de São Paulo com a espada, não quer dizer que ele foi um homem violento, mas simboliza o seu Martírio. Por amor a Jesus, Paulo foi até as últimas conseqüências, dando sua própria Vida para que a Palavra de Deus fosse conhecida e amada por todos. Assim ele foi decapitado em Roma, por amor a Cristo e aos seus Irmãos.
Irmã Esther Thomasi, fsp.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Paternidade de São Paulo:"Quem vê Paulo vê Abraão"

(Sec. 9, mosaico da igreja de Sta. Praxedes Paulo recebe no céu a jovem que o havia hospedado)

Poderíamos dizer que Paulo é para o cristianismo e para a Igreja de hoje, aquilo que Abrão foi para o judaísmo e continua sendo para os judeus de hoje: o pai na fé. Deus se revelou a Abraão e ele deu origem ao Povo de Deus. Jesus Cristo ressuscitado se revelou a Paulo e ele levou a fé a todas as nações.
Paulo mesmo diz na carta aos Romanos que todos os que crêem em Deus: judeus e cristãos são filhos de Abraão na fé. Abraão tinha vivido 2 mil anos antes dele, mas ele o considerava Pai na fé, porque a mesma experiência de Deus o ligava a Abraão. Assim, a Igreja pode se dizer filha de Paulo na fé, ainda que vivamos 2 mil anos depois dele, porque cada cristão vive em Cristo, conforme Paulo viveu e ensinou.
No dia 04 de julho a Igreja celebrará a solenidade do martírio de São Pedro e São Paulo. E na segunda-feira, dia 05, estaremos aqui para falar dos últimos dias do Apóstolo em Roma. Quem nos revela os detalhes é também a 2Timóteo, a última carta paulina, o testamento do pai para o filho Timóteo e para todos os que, ao longo dos tempos, seguem e seguirão Jesus.
Irmã Maria Inês Carniato, fsp.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

PAULO NOS FALA...FRASE DO DIA

(Básilica São Paulo fora dos Muros - Roma)

“O amor não é invejoso, não se ostenta, nem se incha de orgulho”
1Cor 13,4
No hino da caridade, Paulo tenta explicar a sublimidade do amor e os obstáculos para a vivência deste amor, usando expressões claras e fáceis de compreendermos. Ele sita algumas coisas que dificultam a vivência do amor, como a inveja, o orgulho, a ostentação, ou auto elevação. Estes são inimigos do amor verdadeiro, porque buscam a si mesmos, alimentam seu egoísmo, ao passo que o amor verdadeiro, vem de Deus e volta para Deus, após ser partilhado de mil formas com o próximo, os necessitados e os empobrecidos.
Deus que é amor infinito é também justo, e partilha seu amor com todos os seres humanos. Em outra ocasião, Paulo recomenda aos Coríntios que busquem ter os dons de Deus em abundância, para poder partilhar com os irmãos. Infelizmente, vemos também, ao longo da História muitas pessoas que colocaram obstáculos ao caminho do amor. Lemos na Bíblia, como Caim por inveja matou seu irmão Abel. O fariseu, que no templo, se orgulhava de sua oração e saiu mais pecador do que o pobre públicano que na tinha coragem de levantar a cabeça, pois se achava muito pecador. No Evangelho, a cena do Filho mais pródigo, nos mostra como o irmão mais velho, por orgulho, não quis participar da festa pela volta do irmão mais novo. Peçamos ao Mestre Jesus, o amor verdadeiro que nos faz cada dia mais Filhos de Deus e irmãos entre nós!
Irmã Esther Thomasi, fsp.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Por problemas técnicos, não foi possível fazer o 4º dia da Novena a São Paulo através da Rádio 9 de Julho. Convidamos você a rezar através do Blog Nos Passos de Paulo. Divulgue para os seus amigos.

PAULO NOS FALA....FRASE DO DIA

(Martírio - Basílica São Paulo fora dos muros - Roma)

“Ainda que eu entregasse meu corpo às chamas, se não tivesse o amor, nada disso me adiantaria.” 1Cor 13,3
O Apóstolo Paulo, usa palavras fortes, para que compreendamos a força do amor. Dar o corpo às chamas, ser queimado vivo, nem se quer gostamos de pensar. Um exemplo da força do amor, nós temos com o testemunho do mártir Santo Estevão que, por amor a Jesus, e ao anúncio da sua mensagem, entregou seu corpo para que fosse apedrejado, ou seja, jogado às chamas de outra forma! O amor de Estevão era tão forte que mesmos com o corpo todo chagado, pelas pedradas que recebeu, viu o céu aberto e Jesus acolhendo o seu Espírito, e em uma atitude de extremo amor, pede que o Senhor perdoe aqueles que lhe tiravam a vida.
Esta cena foi presenciada pelo jovem Saulo de Tarso. Sem dúvida, ela ficou gravada em seu coração, como uma chama que ardia em seu coração, e ardeu até o fim de sua vida, como testemunho da força do amor Cristão.
Paulo diz que o amor é o dom que todos deveriam aspirar. Porque é o amor que leva a pessoa a superar as dificuldades, resolver os conflitos, não desanimar nas contradições e sofrimentos da vida. Sem amor, tudo se torna difícil e a pessoa pode cair no desânimo, na tristeza e nas reclamações. O amor não leva só a suportar, a superar, mas também, sustenta a fé e a esperança. O amor é coragem, dinamismo para que a vida cristã se faça testemunho e incentivo. Rezemos para que o nosso amor seja semente de santidade que nos ajuda a dá a vida pelo próximo, como Jesus e Paulo.
Irmã Esther Thomasi, fsp.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

PAULO NOS FALA... FRASE DO DIA

(Básilica de São Paulo Fora dos Muros - Roma)
“Ainda que eu reparta todos os meus bens, se eu não tiver amor, de nada me serve” 1Cor 13,3
Despojamento, partilha dos bens, é forte expressão de quem na vida descobriu o amor maior e renunciou a tudo o que é desnecessário, para liberar o coração e entregá-lo ao amor de Deus, a favor do próximo. O despojamento não tem valor em si, a não ser quando motivado pelo bem maior que é o amor de Deus. A exemplo de Jesus, que despojou-se para fazer-se homem e nos salvar, Paulo também escolheu o despojamento total, para colocar-se, livremente, à serviço da Evangelização. Não tinha morada fixa, possuía poucos recursos: Um par de sandálias, uma túnica e quando precisou dela, pediu a Timóteo que a trouxesse, pois havia deixado em outra comunidade.
Pouca saúde, alimentação precária e muitos sofrimentos. Mesmo assim, Paulo nada pedia para si mesmo, contentava-se com o pouco que ganhava de seu próprio trabalho manual. Ele fazia coleta, mas para ajudar os pobres de Jerusalém. Nos passos do despojamento total de Jesus e Paulo, também caminham outras pessoas, Cristãos leigos, religiosos, missionários... Conhecemos bem o testemunho de São Francisco de Assis. Conhecemos também, a forte motivação que o levou a despojar-se de todos os bens de que tinha direito, por amor ao Cristo Pobre. Esse amor que moveu Paulo, Francisco e tantos outros, é um amor tão forte e sublime, que às vezes escapa a nossa compreensão humana, mas toca o nosso coração. Despojar-se e repartir os bens tem valor se for por amor!
Irmã Esther Thomasi, fsp.

PAULO NOS FALA... FRASE DO DIA

(Basílica San Paolo Fuora muri - Roma)

“Ainda que eu tenha uma fé capaz de mover montanhas, se eu não tiver amor, eu nada sou” 1Cor 13,2
É Jesus que nos diz que se alguém tiver fé, é capaz de mover montanhas! Todos nós temos fé, porque ela é dom de Deus, mas a fé necessita da nossa colaboração. A fé sem obras é dom enterrado. A Fé para São Paulo era certeza, era uma força que o levava a agir. É dele a expressão: “Eu sei em quem acreditei e estou certo de que ele é fiel.”
Esta certeza era fruto do amor que ardia em seu coração e o leva a agir, evangelizar. O amor está acima da fé. A fé é uma força que remove montanhas, as montanhas do nosso medo, das nossas indisposições, dos nossos condicionamentos... Esta fé que remove o mal, precisa ser reafirmada todos os dias com gestos, atitudes, e obras de caridade. Que o amor concreto desperte e dinamize nossa fé, para que o amor se concretize e cresça, também, no mundo! Continuemos cantando: “Se eu não tiver amor, eu nada sou, Senhor!”

Irmã Esther Thomasi, fsp.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

1Timóteo, uma carta para o filho

(Timóteo e Paulo - divulgação do Evangelho)

Paulo não era pai biológico, mas era pai espiritual. Os Atos dos Apóstolos narram que Paulo encontrou Timóteo em Listra, cidade da Ásia Menor. Timóteo era filho de um pagão casado com uma senhora de família judaica.
Diz o pesquisador e professor Jeromme O’Connor, um dos maiores conhecedores de Paulo, que Timóteo não só foi de auxílio ao Apóstolo em todas as necessidades da missão, como também o ajudou a moldar o temperamento impulsivo e até brusco, às vezes. Fazia-o refletir duas vezes antes de falar ou de escrever, porque sabia que as expressões muito ásperas iam causar dissabores depois, ao próprio Paulo.
Timóteo liderava a comunidade de Éfeso, por indicação de Paulo, mas não estava sendo fácil, por isso, Paulo escreve para lhe dar coragem e ajudá-lo a renovar a confiança em Deus e a certeza de que o ministério apostólico traz sofrimento, mas Cristo dá sentido a tudo.
A primeira carta a Timóteo tem 6 capítulos. É curta. Lendo-a nesta semana, vamos nos preparar para refletir no próximo programa sobre a paternidade espiritual de Paulo que aparece tão claramente nas duas cartas a Timóteo.
Irmã Maria Inês Carniato, fsp

PAULO NOS FALA HOJE...FRASE DO DIA:

(Basílica Fuormura - Roma)

“Ainda que eu possua o dom da profecia e conheça todos os mistérios e as ciências, se não tenho amor, nada sou” 1Cor 13,2

Paulo foi o Apóstolo Profeta, no verdadeiro sentido da palavra. Profetizar é o dom pelo qual alguém, sob inspiração do Espírito Santo, mostra a vontade de Deus, dentro da situação presente, levando a comunidade à conversão, ao conhecimento e crescimento da fé. Por isso, entendemos que profetizar é dom de Deus. Paulo nunca se deu o direito de predizer o futuro, como algumas pessoas que se dizem profetas. Essas pessoas falam bem, fazem belas orações, mas seus testemunhos na comunidade, deixam a desejar, pela falta de caridade e coerência com o anúncio do Evangelho.
Quando Jesus percorria cidades e povoados, anunciando o Reino de Deus, o povo exclamava: “um grande profeta surgiu entre nós! Porque Jesus falava explicando o projeto do Pai do céu e era compreendido por todos. Curava os cegos, os paralíticos, perdoava pecadores, acolhia a todos e convertia os pecadores. Paulo tinha o carisma de falar, de anunciar o Evangelho de Jesus e como tudo era fruto do amor, a sua mensagem chegou até nós e passará os séculos. Ele podia dizer: Se eu não tiver amor, eu nada sou, nada posso! E como conhecemos o amor que ardia no coração de Paulo e o movia a comunicar, nós o agradecemos, procurando entender sempre mais a Mensagem por ele anunciada.
Irmã Esther Thomasi, fsp.

terça-feira, 22 de junho de 2010

PAULO NOS FALA HOJE - FRASE DO DIA...

(Batismo - Basílica San paolo Fuormura)

“Ainda Que eu falasse! As línguas humanas e angelicais, se eu não tiver amor, sou como um metal estridente, um sino ruidoso.” 1Cor 13,1.

Para quem caminha nos passos de Paulo, Já descobriu a pedra preciosa que está escondida e revelada nas suas cartas: é o AMOR. Deus é amor! Acima de tudo é o amor. Cada verso, cada palavra deste hino, que são Paulo escreve aos Coríntios, canta a supremacia do amor de Deus. Neste primeiro versículo do hino ao amor, Paulo fala que sem o amor, não adiantaria nada falar todas as línguas existentes no mundo.
O Amor tem uma linguagem própria de Deus, e que é entendida pelos puros de coração: é a linguagem do amor. Está é também a linguagem dos anjos. A linguagem do amor continua sendo falada por Jesus, por Paulo, por tantos santos, mas só pode ser ouvida com os ouvidos do coração, lida com os olhos da fé, vivida e comunicada para evangelização. E todos nós ouvimos e entendemos a língua de Francisco de Assis, de Teresa de Calcutá, de Dom Helder, de Ir. Dulce e tantas outras pessoas das quais desconhecemos a língua nativa, mas os entendemos porque falam a linguagem do amor através de seus testemunhos, e de suas obras de caridade. A coisa mais importante em nossa vida é o amor, acolhido, vivido e comunicado.
Irmã Esther Thomasi, fsp.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

FRASE DO DIA...

(Antioquia, envio - Básilica de São Paulo - Roma)

“Cada um colherá aquilo que tiver semeado.”
Gl 6, 7.
O Apóstolo Paulo no fim de sua vida, dizia: “Agora aguardo a coroa da justiça que o Senhor justo juiz me dará.” Para Paulo, a coroa da Justiça era a colheita do Evangelho que ele tinha semeado entre os povos. O seu plano apostólico era semear a Verdade, a boa notícia do Evangelho, até os confins do mundo, até então conhecido.
É bem verdade que quem planta semente, colhe alimento, quem planta trigo, colhe pão! Quem semeia a fé, colhe certeza! Quem semeia vida, colhe milagres! Infelizmente, na nossa sociedade, há quem prefere semear a injustiça, a discórdia e a tristeza. As boas sementes plantadas por São Paulo, chegaram até nós! Quantos frutos recolhemos no campo da fé, da solidariedade, da pastoralidade, e da generosidade! Agradeçamos ao Apóstolo Paulo e como evangelizadores, peçamos a graça de sabermos semear boas semente no campo da vida!
Irmã Esther Thomasi, fsp.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

São Paulo na arte...

São Paulo - Ravenna

FRASE DO DIA

(Catedrão de São Paulo - Carniato)

“Existem dons diferentes, mas o Espírito é o mesmo.” 1Cor 12, 4.

Deus é Sábio e justo na distribuição dos seus dons. Dons diferentes para serviços diferentes. Paulo afirma que Deus é fiel e distribui seus dons de acordo com a vocação de cada pessoa. O Apóstolo Paulo afirma que nunca lhe faltou a graça.
O Apóstolo habituou-se a viver com muito e com pouco, na abundância e na penúria , andando a pé ou de barco, com fome e com frio, mas nunca lhe faltou a graça para realizar a missão. Assim como foi concedido a Paulo, também a nós o Espírito concede todas as graças que necessitamos para realizar nossa missão. Mas cabe a nós procurarmos a melhor forma de colocar em prática os dons que de graça recebemos.

Irmã Esther Thomasi, fsp.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

FRASE DO DIA

(Paulo em Atenas - Rafaello - Livro Sulle orme)

“Combati o bom combate, agora espero a coroa da justiça...” 2Tm 4, 7

A grande motivação que une os brasileiros nestes tempos, é conquistar a Copa do Mundo. Será que o Apóstolo Paulo tem algo a nos dizer a este respeito? Ninguém melhor do ele para nos dar seu testemunho.
Paulo lutava para que o Evangelho de Jesus fosse conhecido e seguido por todos. Sacrificou-se, sofreu e deu a vida, mas sabemos que ele se sentiu vencedor porque disse: “Estou aguardando a coroa da justiça que o Senhor justo juiz me dará.”
Vencer é uma força que dinamiza o ser humano. Devemos aproveitar esta força para lutar contra a injustiça, a violência e os princípios que geram morte. Saber ganhar é fácil, mas é importante também saber lidar com as perdas, que costumam acontecer na vida de todos. Diante das vitórias e derrotas que a vida nos propõe, estejamos sempre dispostos a continuar lutando, até aquele dia em que receberemos a cora da Justiça.

Irmã Esther Thomasi, fsp.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

FRASE DO DIA

(Paulo, Girolamo di Salerno, séc. 16 - Abadia beneditina - Livro Sulle orme di Paolo)

“Vocês podem colaborar por meio da oração.” 2Cor 1, 11

Paulo tinha a experiência do poder, da força da oração. Ele colocava sua fé e confiança na Palavra de Jesus, que disse: “Sem mim, nada podeis fazer!”. E o próprio Paulo, quantas vezes foi encontrado em oração! Aliás, logo após sua conversão foi conduzido a Damasco. O senhor apareceu a Ananias e ordenou-lhe que fosse ao encontro de Saulo e lhe disse: “Você o encontrará em oração”! Paulo estava cego, mas em oração.
Paulo reza por todos e pede orações para si, para sua missão e para os povos. Paulo Recomenda que se reze sempre para persevera na fé, no bem e nos bons costumes. Paulo esteve sempre em oração, em profunda união com Deus, para evangelizar os povos. Por isso Paulo pede para que também suas comunidades colaborem com ele, sobre tudo com suas orações!
Ir. Esther Thomasi, fsp.

terça-feira, 15 de junho de 2010

FRASE DO DIA

(S. Paulo - Basílica ortodoxa de Ravenna )

“A Preocupação de vocês seja fazer o bem a todos.” Rm 12,17.

Todos andamos preocupados, não é? Tantas preocupações que nem siquer sabemos enumerá-las... Lendo as cartas de São Paulo, descobrimos logo quais as suas preocupações: fazer o bem a todos, que todos conhecessem Jesus e Jesus Crucificado e ressuscitado. Uma preocupação que brotava do amor e se tornou paixão, a ponto de dar a vida. Mas há pessoas cujas preocupações, brotam de suas ambições, essa preocupação faz com que elas percam a paz e a liberdade.
Nosso fundador, Pe. Tiago Alberione, desde de jovem, alimentava uma profunda preocupação: Que toda a humanidade conhecesse Jesus, o Mestre Divino. E para isso fundou as Irmãs Paulinas, que hoje fazem 95 anos, para que elas, com a vida e os meios de comunicação, façam com que Jesus seja conhecido e amado por todas as pessoas, até os confins da terra. Todo Cristão é chamado a dar boas razões para suas preocupações, de modo que estas preocupações o ajudem a avançar, melhorar a sua própria qualidade de vida e a das pessoas que convivem com ele.
Irmã Esther Thomasi, fsp

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Tito, uma carta Pastoral

(Antonio di Nova - Paulo em Trôade)

A Carta a Tito tem o objetivo de animar as lideranças e dar diretrizes e princípios, referentes às comunidades. Apesar de ser dirigida a Tito, um amigo íntimo e colaborador do apóstolo Paulo, o texto permite entrever que a comunidade vivia em Creta. Uma ilha famosíssima na cultura grega, de grande tradição cultural, política e religiosa.
A carta nos mostra rostos de uma comunidade bem variada: pluralista, como dizemos hoje. Paulo menciona senhoras idosas, senhoras jovens, pais de família, filhos, senhores, escravos, cristãos vindos do judaísmo e cristãos vindos do paganismo. Todos vivendo lado a lado, sob a liderança de Tito.
Ao ler esta carta, escutamos o eco do coração do Apóstolo que pulsa também nela, como em todas as cartas paulinas.
Ir.Maria Inês Carniato,fsp

FRASE DO DIA

(Sec. 9, mosaico da igreja de Sta. Praxedes Paulo recebe no
céu a jovem que o havia hospedado)

"Reaviva o Dom de Deus que está em você.”
2Tm 1, 3
A vida Cristã adulta começa a ser vivida, quando acolhemos a Fé como Dom de Deus, dom gratuito depositado em nosso coração. É por isso que o Apóstolo Paulo vivia dando graças a Deus pela fé, pela vocação ao apostolado de pregador do Evangelho. A sua humildade o leva a reconhecer-se como vaso de barro, onde Deus depositou muitos dons.

Como Paulo, também nós somos portadores de muitos dons, talentos. Cabe a nós usá-los e partilhá-los para o bem de todos. Pois esses dons, se não forem usados podem morrer dentro de nós. Por isso São Paulo pede que eles sejam reavivados sempre dentro de nossos corações. Esse reavivar o dom pode acontecer com a participação na vida da comunidade, nas pastorais, na catequese, na liturgia, na evangelização das famílias, na oração, e em tantas outras oportunidades que Deus vai colocando em nossa vida. Os dons vividos e partilhados produzem frutos que fazem o Reino de Deus crescer.
Ir. Esther Thomasi, fsp.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

quarta-feira, 9 de junho de 2010

1Coríntios, a Cara da Igreja

(Pregação de Paulo em Atenas - Cláudio Pastro)

A primeira carta de São Paulo aos Corintios é importantíssima para a fé. porque fala do significado da morte e ressurreição do Senhor e o relacionam com o Antigo Testamento e com a remissão dos pecados. Explicam de modo simples o mistério da morte e ressurreição humana, um mistério que todos nós desejamos compreender. Corinto é uma fundação da segunda viagem missionária. Paulo chegou lá após ter saído de Tessalônica e passado por Atenas. A cidade tinha dois portos marítimos, era o maior centro comercial do mar Mediterrâneo.

Depois de procurar convencer os coríntios de que a fé cristã se vive no dia a dia e não na procura de experiências extraordinárias para aparentar ser mais santo do que os outros, o Apóstolo mostra o caminho mais sublime, já que alguns deles queriam um caminho de alta perfeição. Paulo, nesta carta, confirma que seguir Jesus é viver o amor nos relacionamentos de cada dia.

Ir. Maria Inês Carniato, fsp

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Efésios, a carta da comunhão

(Paulo de Cláudio Pastro)

Nesta carta Paulo insiste na união dos batizados com o Cristo Senhor, e da comunhão de todos entre si, o que faz da Igreja um corpo místico único, inseparável de Cristo que é a cabeça.
Esta carta parece ser totalmente paulina, mas sabe-se que ela não figura entre as sete cartas comprovadas como originais de Paulo. Ela seria mais tardia? Alguns biblistas pensam que Paulo a teria escrito depois do primeiro cativeiro em Roma, quando ele foi absolvido pelo tribunal do imperador e talvez tenha voltado a residir em Filipos. Outros crêem que ela seja datada de depois do martírio do apóstolo, escrita em nome dele, como era costume no tempo.
Seja original dele ou não, a carta eleva e engrandece a vocação cristã e reanima a vida das comunidades às quais foi dirigida.

Então, vamos ler Efésios, a carta da Igreja e da comunhão. Ela ocupa no máximo, seis páginas da Bíblia, mas encerra muita graça e comunicação de Deus para as nossas comunidades.
Ir. Maria Inês Carniato, fsp