segunda-feira, 8 de novembro de 2010

De volta a Jerusalém

Nas três semanas que passaram conversamos sobre os acontecimentos da vida do Apóstolo Paulo nos primeiros anos após a conversão. Dizíamos que ele foi de Damasco para a Arábia e que tempo depois o rei dos nabateus o expulsou e ele, voltando a Damasco morou lá por algum tempo. Ele mesmo revela aos gálatas no capítulo 1, 16-18, que ficou por três anos no meio da comunidade de Damasco. Nesse tempo, acreditam os estudiosos que ele deve ter aprendido o ofício de artesão em couro, mesmo que o relato dos Atos dos Apóstolos não mencione este detalhe.
Mais uma vez é Paulo que revela isso aos gálatas. Ele só menciona a perseguição que sofreu dos soldados de Arestas. E pelos estudos da época, sabe-se que este era o rei dos nabateus que viviam na cidade de Petra, na Arábia. Tudo mostra que ele mais uma vez saiu escondido. Tornou-se quase que um permanente fugitivo.
O capítulo 9 dos Atos não fala nada da ida de Paulo para a Arábia. Logo depois da conversão e de um tempo na comunidade de Damasco, o relato já o coloca na estrada de volta para Jerusalém.
Inclusive, parece que há uma discordância entre a carta aos gálatas e os Atos dos Apóstolos neste ponto. Enquanto Paulo diz ter sofrido perseguição dos soldados nabateus, os Atos dos Apóstolos culpam os judeus pela ameaça à vida dele.

Irmã Maria Inês Carniato, fsp

Nenhum comentário:

Postar um comentário