segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Paulo entre os Nabateus: o primeiro anúncio aos pagãos...

(Paulo, depois de sua fulga de Damasco vai para o Reino dos Nabateus - Ir. teresa Groselj)

Nós não conhecemos suficientemente o Apóstolo Paulo. Quando escutamos na liturgia os trechos de suas cartas, temos idéia de que ele era uma pessoa privilegiada, que estava acima das lutas e contratempos que nós todos encontramos na vida e na prática da fé.
Paulo revela na carta aos Gálatas (1,18), que no começo de sua vida missionária, foi perseguido em Damasco pelos soldados do rei Aretas. Os nabateus tinham um rei chamado Aretas, descendente de outros reis que, desde o tempo do Antigo Testamento, guerreavam contra os reis de Israel. Havia muita rivalidade entre judeus e nabateus.
Mas a gente pode perguntar: com tantos judeus que moravam na Síria e em toda a região ao redor do deserto da Arábia, por que o rei Aretas mandaria soldados a Damasco para perseguir justamente Paulo?
É aqui que se apóia a hipótese do anúncio de Cristo aos pagãos: se Paulo passou um tempo no deserto da Arábia, é lógico que não pode ter ficado dia e noite sentado sozinho no meio da areia e das rochas, como se vê em alguns filmes. Deve ter se instalado na povoação dos nabateus e vivido por um tempo no meio deles. E logo quis anunciar o Evangelho e falar de Jesus Cristo...
O rei Aretas pode ter temido que Paulo fosse uma espécie de espião judeu infiltrado no meio dos nabateus e o manteve sob observação por um bom tempo. Quando viu que ele estava reunindo pessoas em torno de si, deu o alarme não só para o prenderem, como para o matarem.
Vemos mais uma vez Paulo na posição de Mestre, reunindo discípulos e organizando uma comunidade. Isso lembra o que dissemos no começo. Foi no sofrimento, no medo da morte, na perseguição, na humilhação de viver fugindo de lá para cá, tido por uns como traidor, por outros como espião perigoso, que ele foi aprendendo a ser um missionário anônimo e deixando para trás a pretensão de ser mestre e doutor.

Ir. Maria Inês Carniato, fsp

Nenhum comentário:

Postar um comentário