quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Com a letra I...

Na carta ao Efésios , a Igreja ideal se identifica praticamente com o Reino e, portanto, ultrapassa as concretizações históricas. Como corpo e plenitude de Cristo, ela se torna a meta para a qual caminhamos. Paulo se refere a uma Igreja santa, a um modelo ideal que exige conversão contínua da Igreja real que vive na história.
Em primeiro Coríntios, A imagem da Igreja como corpo é usada para falar da unidade, diversidade e solidariedade que caracterizam a comunidade cristã. Esta é una, porque forma o corpo de Cristo, dado que todos receberam o mesmo batismo e o mesmo Espírito, que produzem a comunhão e igualdade fundamental. Contudo, as pessoas são diferentes entre si; cada uma com sua originalidade contribui, de maneira indispensável, para a construção e crescimento de todos; portanto, não há lugar para complexos de superioridade ou inferioridade. O cimento da vida comunitária é a solidariedade, que faz com que todos se voltem para cada um, principalmente para os mais fracos e necessitados, partilhando os sofrimentos e alegrias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário