quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Com a letra H...

As Igrejas Paulinas que encontramos nas páginas do Novo Testamento eram comunidades de culto formadas por homens e mulheres fieis, vindos do Judaísmo ou mesmo Pagãos. Paulo usa os hinos que já existiam no culto cristão primitivo, para fazer a sua reflexão a respeito de Jesus Cristo.É o que vemos no Hino da Carta aos Filipenses no Cap. 2, Versículo de 5-11. O
Apóstolo Diz: “Tenham em vocês os mesmos sentimentos que havia em Jesus Cristo:
Ele tinha a condição divina, mas não se apegou a sua igualdade com Deus. Pelo contrário, esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de servo e tornando-se semelhante aos homens. Assim, apresentando-se como simples homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, morte de cruz!
Por isso, Deus o exaltou grandemente, e lhe deu o Nome que está acima de qualquer outro nome; para que, ao nome de Jesus, se dobre todo joelho no céu, na terra e sob a terra; e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.”
Citando um hino conhecido, Paulo apresenta em Cristo o modelo da humildade. Embora tivesse a mesma condição de Deus, Jesus se apresentou entre os homens como simples homem. E mais: abriu mão de qualquer privilégio, tornando-se apenas homem que obedece a Deus e serve aos homens. Não bastasse isso, Jesus serviu até o fim, perdendo a honra ao morrer na cruz, como se fosse criminoso. Por isso Deus o ressuscitou e o colocou no posto mais elevado que possa existir, como Senhor do universo e da história. Os cristãos são convidados a fazer o mesmo: abrir mão de todo e qualquer privilégio, até mesmo da boa fama, para pôr-se a serviço dos outros, até o fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário