segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Jesus Cristo é o Senhor
(São Paulo no caminho de Damasco - G. Breddo)
A cena mais conhecida na vida do Apóstolo Paulo é a conversão. Se perguntarmos a qualquer pessoa cristã o que sabe dele, a maioria dirá que ele caiu do cavalo.
Aliás, o personagem mais famoso parece até ser o cavalo, que por sinal, nem existe no texto bíblico. No livro dos Atos dos Apóstolos, a conversão é narrada três vezes, em At 9, 1-19; At 22, 1-21; At 26, 1-18, são textos longos e ricos em detalhes, mas todos dizem que o jovem Saulo caiu por terra, simplesmente. O cavalo faz parte do nosso imaginário.
O fato que costumamos chamar de conversão, na verdade, foi o grande encontro, a grande experiência de luz que transformou Saulo de perseguidor em missionário de Jesus Cristo. Essa mudança tão grande terá sido repentina?
A brilhante inteligência de Saulo o inquietava. Ele queria ser santo, mas com certeza, via que a observância da Lei não era tudo, queria descobrir a verdadeira santidade e sentia que a proposta de Deus tinha que ser maior...! Enquanto se angustiava, os seguidores do Caminho de Jesus avançavam e se espalhavam pelas comunidades judaicas.
O autor dos Atos dos Apóstolos faz questão de dizer que Saulo estava presente na morte de Estevão, o diácono e primeiro mártir cristão. Mas há um detalhe curioso: diz que ele guardava as vestes, isto faz pensar que ele não jogou pedras.
Sendo assim, é intrigante ele ter viajado a Damasco para prender os seguidores de Jesus. Por que terá ido?
Talvez ele fosse recém-formado ou estivesse quase acabando o curso de doutor da lei e almejasse se mostrar consciente e competente em sua missão de defender a fé de Israel. Diz o texto bíblico que o sinédrio lhe deu uma carta de envio, com autoridade para levar algemados os cristãos da Síria para Jerusalém.
E Saulo conhecia as Escrituras como ninguém. Quando disse: Senhor, fez um ato de fé na revelação que acabava de receber: Jesus era o próprio Deus de Israel no meio do povo.
Nas cartas, mais tarde, ele vai usar continuamente o título: Senhor Jesus Cristo, Jesus é o Senhor, Senhor nosso, Jesus Cristo. A mesma expressão judaica para Deus: Senhor nosso Deus.
Vimos apenas a primeira expressão do relato da conversão de Saulo. Vamos deixá-lo no caminho, às portas de Damasco e no próximo programa, veremos o que aconteceu com ele.
Ir. Maria Inês Carniato, fsp

Nenhum comentário:

Postar um comentário