segunda-feira, 11 de outubro de 2010

II - O Discernimento em Paulo...

Hoje as pessoas constroem ídolos. Como exemplos de ídolos temos o dinheiro, o poder, a violência, as estrelas do espetáculo, a pessoa amada e muitas outras coisas que acabam escravizando, mandando na vida da pessoa porque são coisas que imobilizam as pessoas e fazem com que elas não sejam atuantes nos valores cristãos. A idolatria é destruidora da pessoa, da sua natureza e da sua história. A idolatria é uma falsa esperança, é uma indiferença sobre a forma de se relacionar e de construir os valores do Reino.
Paulo mostrou em sua carta aos Gálatas que a idolatria tem a sua forma de agir tirando a liberdade da pessoa. Paulo lembrou que o seu compromisso com Cristo se traduzia no seu compromisso com os outros. Ele não fazia diferença entre a teoria e a prática. Por isso Evangelizar é fazer presente os valores do Evangelho. É sempre necessário existir a prática apoiada pela teoria, como lembrou Paulo. Este é o combate e a superação dos ídolos que tanto aparecem no nosso dia a dia.
Paulo escreveu na 1a. Epístola aos Tessalonicenses: “Discerni tudo e ficai com o que é bom”. As pessoas devem influenciar as mudanças das estruturas de morte no mundo para as estruturas de vida, de inserção e de amor fraterno.
Rodrigo Drubi
Teólogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário