quinta-feira, 16 de setembro de 2010

DEUS NOS FALA POR CANÇÕES


A arte de amar e cantar

O ministério de cantar e tocar nas celebrações litúrgicas não é algo simplesmente do fazer pelo fazer, pois com as coisas de Deus não podemos fazer pouco caso. Já dizia o poeta: “com Deus não se brinca”. Isso pode ser aplicado também às canções sacras e litúrgicas.

Nas celebrações em nossas comunidades, o que deve perdurar durante o oficio de cantar e tocar é a Arte de Amar. Ou cantamos e tocamos com amor, ou então é preferível deixar uma celebração sem canção, pois quem canta sem amor ecoa palavras vazias que não atingem o coração. Enquanto músicos e cantores podemos nos perguntar: Aquilo que até agora fora cantado nas celebrações, os muitos anos no grupo tal, as muitas celebrações cantadas e tocadas por meio de nossas vozes e mãos, realmente foram instrumentos de evangelização? As pessoas que participaram das celebrações que cantamos e tocamos, ao menos tiveram a oportunidade de sentir a presença de Deus por meio das cordas e vozes? Se uma pessoa, apenas uma, da assembleia litúrgica se converteu ou encontrou-se com Deus durante as celebrações cantadas por nós, já valeu a pena o oficio de cantar. É..., realmente cantar nas celebrações litúrgicas é uma ARTE.

Quando olhamos para uma obra de arte, ficamos admirados e perplexos; muitas artes nem sequer entendemos, no entanto isso não a isenta de ter um sentido e significado profundo. A ARTE de cantar nas celebrações não precisa ser a mais bela e muito menos a mais perfeita, todavia as pessoas ao depararem-se com ela, devem ao menos perceber o seu sentido mais pleno, Deus. Qualquer canção cantada na Igreja deve mostrar às pessoas o rosto de Deus, caso contrário ela perde o seu sentido. Por isso cantar é uma ARTE e arte não se faz sem amor. Quem canta com amor, converte e transforma.
Pe. Edinaldo Mendes Tonete


Para ouvir suas músicas e adquirir seus CDs: http://www.padreedinaldo.com.br/



Nenhum comentário:

Postar um comentário