segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Faleceu o superior geral da Congregação dos padre paulinos


Faleceu ontem, dia 14 de setembro, em Roma, o superior geral  dos padres paulinos, Pe. Sílvio Sassi, conforme informação do vigário geral da Sociedade de São Paulo, Pe.  Celso Godilano.

Pe. Silvio faleceu aos  65 anos, 54 de vida paulina, 37 de sacerdócio. Foi superior geral de 2004 a 2014
Faleceu, na Casa geral em Roma, em consequencia de parada cardiocirculatório.

Na véspera, dia 13, passou o dia de modo habitual no seu escritório, em oração e em momentos de fraternidade com os irmãos da comunidade. Nada permitia pressentir a sua morte no dia seguinte. 

Em 2010 foi reeleito superior general da Congregação. 

Foi o sexto sucessor do bem-aventurado Tiago Alberione, à frente da vida e da obra apostólica da Congregação  no mundo,  e  queria celebrar o Centenário da Família Paulina, desta forma: «os cem anos do carisma paulino sejam motivo de louvar a Deus e de  a  renovada fidelidade espiritual e apostólica»

Em recente entrevista  a  Pe. Antonio Maroño, ssp, com o título "Pe. Silvio Sassi: "A familia Paulina é são Paulo vivo hoje", o superior geral disse:


"Contemplando o estado atual da Sociedade de São Paulo, pela sua função de  animação (altrice) que lhe confiou o Fundador, ampliando o olhar a toda a Família Paulina no mundo, o primeiro pensamento é  de ação de graças à Providência, que nestes cem anos suscitou homens e mulheres que deram suas vidas para viver em plenitude o carisma paulino nos cinco continentes. 
Temos que louvar o Senhor porque entre os que nos precederam temos bem-aventurados, veneráveis, e tantos irmãos e irmãs de vida exemplar no paraíso!
Deixando à misericórdia de Deus as fraquezas humanas, que também estão presentes na Família Paulina, vale a pena sublinhar com força que nossa Família permite que o carisma se pode viver em todos os estados da vida eclesial: sacerdote religioso, leigo religioso, irmãs, sacerdote diocesano, leigos comprometidos a viver sua consagração secular, leigos cooperadores e simpatizantes."

Toda entrevista em http://www.sanpablo.es/articulos/42/p-silvio-sassi-la-familia-paulina-es-san-pablo-vivo-hoy


A Família Paulina celebra a Eucaristia em memória de Pe. Sílvio Sassi, na Paróquia de Santo Inácio, Vila Mariana, na segunda-feira, dia 15 setembro às 18 horas.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014




Uma mobilização global apoiada pelo papa Francisco e coordenada pela Cáritas no enfrentamento da fome e da insegurança alimentar. 

saiba como participar aqui:

1. Compartilhando as noticias da campanha do site da Cáritas. Entre em: www.caritas.org.br

2. Compartilhando as informações sobre a campanha do
face: facebookcom/caritasbrasileira
twitter: @caritasbrasil
youtube: CaritasBR 

3. Promovendo debates e reflexões sobre a campanha e suas temáticas.

4. Disseminando os materiais de divulgação da campanha na sua rede de contatos e enviando as peças de divulgação da campanha a veículos de comunicação que você conheça. as peças podem ser baixadas aqui: 

http://caritas.org.br/campanha-mundial



http://caritas.org.br/mais-de-9-milhoes-ainda-sofrem-com-a-guerra-civil-na-siria/24413#.Uv0PFWJdWHg

5. Se você é membro de algum organismo, pastoral, entidade ou paróquia, procure realizar as rodas de conversa da campanha. ela será o nosso instrumento para a escuta que queremos realizar sobre a fome e a pobreza. Baixe o material ou saiba mais informações no link 
http://caritas.org.br/campanha-mundial







terça-feira, 9 de setembro de 2014

Homenagem aos que partiram...
A morte não é nada

A morte não é nada.
Eu somente passei para o outro lado do caminho.

Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.

Me deem o nome que vocês sempre me deram,
falem comigo como vocês sempre fizeram.

Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas,
eu estou vivendo no mundo do Criador.

Não utilizem um tom solene ou triste,
continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos.

Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.

Que meu nome seja pronunciado como
sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.

A vida significa tudo o que ela sempre
significou, o fio não foi cortado.
Porque eu estava fora de seus pensamentos,
agora que estou apenas fora de suas vidas!

Eu não estou longe, apenas estou do outro
lado do caminho...

Você que ai ficou, siga em frente, a vida
continua, linda e bela como sempre foi.

Santo Agostinho (séculos V ou VI)

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Oração para pedir intercessão de Mestra Tecla
Trindade Santíssima, 

Pai, Filho e Espírito Santo, 
eu te louvo pelas maravilhas que fizeste 
na vida da Venerável Irmã Tecla Merlo. 
Ela seguiu Jesus Mestre 
Caminho, Verdade e Vida, 
dedicando-se à missão de evangelizar 
por meio da comunicação social. 
A exemplo do Apóstolo Paulo, 
ela queria ter mil vidas 
para doá-las ao Evangelho. 
Jesus Mestre, concede-me fé e coragem 
para imitá-la em suas virtudes, 
e, por sua intercessão, peço esta graça 
tão necessária para mim... (pausa para pedido) 

Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai. 

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Dez mandamentos do eleitor consciente.
Segundo Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior – PUC-SP
os mandamentos foram elaborados a partir de ditados populares 
para ajudar os eleitores a votar em candidatos 
comprometidos com as classes populares. 
Aqui transcrevemos os dez mandamentos do eleitor 
elaborados pela equipe de fé e política da Região Belém. 


1. Gato escaldado tem medo de água fria. 
Conheça o passado e a biografia do candidato e a trajetória do seu partido na defesa das 
causas populares. 

2. Dize-me com quem andas e te direi quem és. 
Descubra as alianças do partido e do candidato, a que classe social pertence, que interesse 
defende, com quem está articulado. 

3. Toda mentira tem perna curta. 
Confronte a imagem e o discurso do candidato com a sua prática política passada e presente. 

4. Em rio que tem piranha, jacaré nada de costas. 
Exercite sua inteligência política votando em candidatos que defendam as causas populares e preparando-se para os dois turnos das eleições, com coerência de valores e de projeto político. 

5. Quem semeia vento colhe tempestades. 
Analise os projetos do partido do candidato para o mandato que ele vai exercer e como ele 
propõe algo novo. Suas propostas são transformadoras ou conservadoras? 

6. Quem engorda o porco é o olho do dono. 
Veja e analise a campanha do candidato. Seus gastos. Qual o seu slogan? Por que ele o 
escolheu? 

7. Uma andorinha só não faz verão. 
Quem e quais serão os ministros e assessores do primeiro escalão? Qual seu passado e suas lutas em favor da real democracia e da distribuição da riqueza e do poder do pais? 

8. Aquele que não quer quando pode não pode quando quer. 
Como o candidato visa atender aos anseios de participação do povo? Da sociedade civil? Das varias instituições nacionais? Quais serão os canais de participação popular no passado político do candidato? 

9. Quando a esmola é muita, o santo desconfia. 
As propostas do candidato são viáveis, concretas, populares ou somente promessas e mentira eleitoral? 

10. Periquito come milho, papagaio leva a fama. 
Até que ponto esta eleição será mais um passo no avanço da luta de classe trabalhadora? 
Como este processo eleitoral ajudará na maior organização dos negros, mulheres, índios, 
camponeses, operários, crianças, jovens em núcleos organizados nas bases, nas fabricas e no campo? 


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Os Dez Mandamentos do Cooperador Paulino


1. Esperar a sua maior santificação, de acordo com seu estado, 

no seguimento de Jesus, Divino Mestre, Caminho, Verdade e Vida, 

sob o olhar de Maria Rainha dos Apóstolos e no espírito de São Paulo.


2. Ler, meditar, viver e difundir o Evangelho.


3. Ter o sentimento de Cristo: conhece, crê, ama.


4. Proclamar e testemunhar como São Paulo: 

“Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim”.


5. Viver da Eucaristia e derramar o amor 

recebido em todas diversas formas de apostolado.


6. Distinguir-se por um profundo amor pela Igreja: 

seguir a vida e os compromissos de sua comunidade cristã.


7. Estar em união de mente e coração com a Família Paulina, 

com quem ora, trabalha, colabora.


8. Atentos aos sinais dos tempos, fazer chegar a todos a Palavra de luz 

e de verdade através dos meios de comunicação social.


9. Como Maria, Rainha dos Apóstolos e primeira Cooperadora da Redenção, 

dar ao mundo o Filho Jesus Cristo Caminho e Verdade e Vida, 

Mestre e Pastor, crucificado e ressuscitado.


10. Em íntima união com Cristo, como São Paulo, 

enfrentar com coragem e esperança as dificuldades e sacrifícios da missão.


(Texto revisado de uma meditação de Cooperadores Paulinos em 6 de dezembro de 1954).

quinta-feira, 31 de julho de 2014

 Rezamos com o papa Francisco:
Senhor Deus de Paz, 
escutai a nossa súplica!
Tentamos tantas vezes e durante tantos anos 
resolver os nossos conflitos com as nossas forças 
e também com as nossas armas; 
tantos momentos de hostilidade e escuridão; 
tanto sangue derramado; tantas vidas despedaçadas; 
tantas esperanças sepultadas... 
Mas os nossos esforços foram em vão. 
Agora, Senhor, ajudai-nos Vós! 
Dai-nos Vós a paz, ensinai-nos Vós a paz, 
guiai-nos Vós para a paz. 
Abri os nossos olhos e os nossos corações e dai-nos a coragem de dizer: 
«nunca mais a guerra»; 
«com a guerra, tudo fica destruído»! 
Infundi em nós a coragem de realizar gestos concretos para construir a paz. Senhor, 
Deus de Abraão e dos Profetas, 
Deus Amor que nos criastes e chamais a viver como irmãos, 
dai-nos a força para sermos cada dia artesãos da paz; 
dai-nos a capacidade de olhar com benevolência 
todos os irmãos que encontramos no nosso caminho. 
Tornai-nos disponíveis para ouvir 
o grito dos nossos cidadãos 
que nos pedem para transformar as nossas armas 
em instrumentos de paz, 
os nossos medos 
em confiança 
e as nossas tensões em perdão

sábado, 26 de julho de 2014

Papa: o continente digital é lugar de encontro entre pessoas com desafios reais
Mensagem do Santo Padre para o 
IV Congresso Nacional da Pastoral das Comunicações Sociais no Brasil
Por Redacao
ROMA, 25 de Julho de 2014 (Zenit.org) - "É necessário que, no mundo digital, o anúncio do Evangelho seja acompanhado pela oferta de um encontro pessoal com Cristo, um encontro real e transformador". São palavras do Santo Padre Francisco na mensagem – assinada pelo cardeal secretário de Estado, Pietro Parolin - enviada aos participantes do IV Congresso Nacional da Pastoral das Comunicações Sociais (Pascom) no Brasil. O congresso, que começou ontem, 24, no santuário mariano de Aparecida, traz o tema “Comunicação, desafios e oportunidades para evangelizar na era da cultura digital” e está ligado ao segundo seminário nacional de jovens comunicadores.


Citando a homilia da Missa do dia 27 de julho de 2013 na Catedral do Rio de Janeiro, Francisco afirma que "não devemos ficar fechados na paróquia, nas nossas comunidades, nas nossas instituições paroquiais e na nossa instituição diocesana, quando tantas pessoas esperam o Evangelho! Sair enviados, não é somente abrir a porta para que venham, para acolher, mas sair da porta para buscar e encontrar”.

Por outro lado, o Santo Padre indica que "nenhum caminho pode, nem deve, ser limitado a quem, em nome de Cristo ressuscitado, se compromete a ser cada vez mais solidário com o homem; com o Evangelho em mãos e no coração, é preciso reafirmar que é tempo de continuar a preparar caminhos que levem à Palavra de Deus, não descuidando de dirigir uma atenção especial àqueles que ainda vivem na fase da busca”.

Portanto, diz o Papa, uma pastoral no mundo digital "está chamada a ter em conta aqueles que não acreditam, caíram no desespero e cultivam no coração o desejo absoluto e de verdade não efêmeros, dado que os novos meios permitem entrar em contato com seguidores de todas as religiões, com não-crentes e pessoas de todas as culturas”.

Se para o Papa os canais digitais são um campo fundamental na nova "saída missionária”, quem trabalha no setor dos meios, particularmente na pastoral da comunicação, “é encorajado a participar, com confiança e com criatividade consciente e responsável, da rede de relações que a era digital tornou possível”.

Aos comunicadores brasileiros, em particular, o Papa dá algumas pistas: garantir "a aprendizagem da linguagem particular deste ‘areópago’ e reconhecendo a “primazia da pessoa", sem nunca esquecer que o "continente digital, ao invés de ser uma mera realidade tecnologica, é essencialmente todo um local de encontro entre homens e mulheres cujas aspirações e desafios não são virtuais, mas reais e precisam de uma resposta concreta".

O objetivo de ambos encontros, que terminam no domingo, 27, é “a busca de novos caminhos para formar e motivar os agentes da pastoral das comunicações no Brasil”. Participam do evento bispos, sacerdotes, religiosos e leigos comprometidos no setor.

O Congresso conta com a participação de especialistas em comunicação como o jesuíta Antonio Spadaro, diretor da Civiltà Cattolica; Leticia Soberón, membro do grupo de peritos criado recentemente para estudar a organização dos meios de comunicação do Vaticano, e Cristiane Monteiro, da Rede de Informática da Igreja na América Latina (RIIAL), entre outros especialistas. (Trad.T.S.)

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Para você rezar conosco


Vem, Espírito Santo,
Acende  em nós a chama do teu amor.
Aumenta, Senhor, a nossa fé.
Revela-nos,  com a tua luz, a tua Verdade.
Liberta-nos, com a  tua força,  
de todas as resistências à graça,
e faze-nos novas criaturas.
Santifica a nossa vida,
Renova, com teu amor,  todo o nosso ser: 
mente, vontade, coração.
Capacita-nos a viver 
e comunicar a Palavra de Deus 
em todo tempo e lugar. Amém.
Ir. Patrícia Silva, fsp

Passos para a Leitura orante
"Nós temos o pensamento de Cristo"
1Cor 2,16

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Os desafios pastorais da família (instrumento de trabalho do Sínodo)


O Evangelho da família; as situações familiares difíceis; a educação para a fé e a vida de todo o núcleo familiar. São estes os três âmbitos nos quais se desenvolve o Instrumentum laboris da assembleia extraordinária do Sínodo dos bispos sobre a família, que se reunirá de 5 a 19 de outubro deste ano para refletir sobre o tema «Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização». O conteúdo do documento foi apresentado  na manhã de quinta-feira,  26 de junho, na Sala de Imprensa da Santa Sé.

primeira parte do texto trata o desígnio de Deus, o conhecimento bíblico e magisterial e a sua recepção, a lei natural e a vocação da pessoa em Cristo. O constatação do escasso conhecimento do ensinamento da Igreja exige dos agentes pastorais mais preparação e o compromisso a favorecer a sua compreensão por parte dos fiéis, que vivem em contextos culturais e sociais diversos.

segunda parte, que enfrenta os desafios relacionados com a família, considera de modo particular as situações pastorais difíceis, que dizem respeito às convivências e às uniões e fato, aos separados, aos divorciados, aos divorciados recasados e aos seus eventuais filhos, às mães solteiras, a quantos se encontram em condições de irregularidade canônica e a quantos pedem o matrimônio sem serem crentes ou praticantes. No documento é frisada a urgência de permitir que as pessoas feridas se curem e se reconciliem, voltando a ter confiança e serenidade renovadas. Por conseguinte, é invocada uma pastoral capaz de oferecer a misericórdia que Deus concede a todos sem medidas. Trata-se portanto de «propor, não de impor; acompanhar e não constranger; convidar, não expulsar; inquietar, nunca desiludir».

terceira parte apresenta antes de tudo as temáticas relativas à abertura à vida, como o conhecimento e as dificuldades na recepção do magistério, as sugestões pastorais, a praxe sacramental e a promoção de uma mentalidade acolhedora.

Depois o documento denuncia o escasso conhecimento da Encíclica Humanae vitae. Na maioria das respostas são evidenciadas as dificuldades que se encontram sobre o tema dos afetos, da geração da vida, da reciprocidade entre o homem e a mulher, da paternidade e maternidade responsáveis. No respeitante à responsabilidade educativa dos pais, o documento frisa a dificuldade de transmitir a fé aos filhos e de lhes dar uma educação cristã sobretudo em situações familiares difíceis, cujos reflexos sobre os filhos se alargam também à esfera da fé.

Agora o documento será objeto de estudo e de avaliação por parte das conferências episcopais e confrontado com as diversas realidades locais a fim de evidenciar os pontos focais sobre os quais adiantar propostas pastorais a serem debatidas e aprofundadas durante os trabalhos da assembleia extraordinária e depois, naordinária, que terá lugar de 4 a 25 de outubro de 2015, cujo tema será «Jesus Cristo revela o mistério e a vocação da família».
Texto na íntegra, em:
http://www.vatican.va/roman_curia/synod/documents/rc_synod_doc_20140626_instrumentum-laboris-familia_po.html